Auxílio emergencial não será prorrogado

Auxílio emergencial pode ser prorrogado por mais 6 meses. Saiba mais

 

A assistência emergencial terminará oficialmente em outubro deste ano, mas as negociações nos bastidores indicam que o plano pode ser estendido novamente. O término da sétima parcela dos depósitos está previsto para o próximo dia 31, encerrando o calendário divulgado até então.

Após a efetivação do pagamento, a última medida será a autorização de saques e transferências. Como sempre, o beneficiário só pode retirar os benefícios algumas semanas após o depósito da conta.

No entanto, conversas nos bastidores mostram que a ajuda de emergência pode ser estendida novamente até 2022. Pelo menos essa seria a vontade do ministro da Cidadania João Roma.

O foco do governo federal é substituir o Bolsa Família pelo Auxílio Brasil, mas o plano tem encontrado algumas dificuldades para seu avanço. Se isso não acontecer antes do final deste ano, é impossível fazer um novo plano em 2022 porque este será o ano de eleições.

Autoridades do governo dizem que o lançamento de novas parcelas pode aumentar a reputação do presidente Jair Bolsonaro, que busca a reeleição no próximo ano. Alguns pediram que a ajuda fosse estendida por mais seis meses, o que aproximará o pagamento da data eleitoral.

Guedes fala sobre prorrogação

Em cerimónia realizada no Palácio do Palanalto, o ministro da Economia, Paulo Guedes, manifestou ainda a possibilidade de alargar o âmbito do atendimento emergencial. Para ele, o governo é “uma equipe que já cruzou o Brasil”.

“O ministro Tarcísio (de Freitas, da Infraestrutura) vai vender mais 22 aeroportos. O ministro Rogério Marinho (do Desenvolvimento Regional) vai concluir as obras. O ministro João Roma vai estender o auxílio emergencial”, afirmou.

Bolsonaro diz que definirá nesta semana extensão do auxílio emergencial

O presidente Jair Bolsonaro participou do lançamento da Jornada das Águas nesta segunda-feira (18), projeto de ação de conservação de água do Ministério do Desenvolvimento Regional. Em São Roque de Minas (MG), Bolsonaro disse que vai decidir sobre o atendimento emergencial e os preços do diesel nesta semana.

“Buscamos resolver os problemas de imediato. Se deus quiser, nesta semana resolveremos a extensão do auxílio emergencial, e também a questão do preço do diesel”, afirmou. O benefício está previsto para acabar em novembro.

Para o presidente, a assistência financeira é indispensável quando a economia mundial está sob pressão.

 

%d blogueiros gostam disto: