×

Beneficiários do NIS 0 do Bolsa Família recebem pagamento nesta sexta-feira (28)

Bolsa Família

Beneficiários do NIS 0 do Bolsa Família recebem pagamento nesta sexta-feira (28)

Hoje, dia 28 de abril, será realizada a liberação da segunda parcela do Bolsa Família, com um acréscimo de R$150 para famílias com crianças de até seis anos, pertencentes ao último grupo de beneficiários com o Número de Identificação Social (NIS) 0.

Este grupo encerra os pagamentos do benefício no mês de abril.

Portanto, o Bolsa Família permanece suspenso até a próxima leva de pagamentos, que geralmente ocorre nos últimos dez dias de cada mês.

O pagamento do benefício é realizado mensalmente, seguindo um calendário estabelecido pelo governo.

Para consultar a data do pagamento, é possível acessar o aplicativo Bolsa Família ou o CAIXA Tem pelo celular.

O saque do benefício pode ser feito em unidades lotéricas, correspondentes CAIXA Aqui, terminais de autoatendimento e agências da CAIXA, utilizando o cartão de débito da conta e o cartão social.

Para os beneficiários que recebem na conta poupança social digital, é possível movimentar o benefício digitalmente pelo aplicativo CAIXA Tem.

Além disso, os cartões e senhas utilizados para o programa Auxílio Brasil também são válidos para o recebimento do Bolsa Família.

Aprovação da revisão do FGTS pode afetar programa Minha Casa Minha Vida

Bolsa Família em maio

Em maio, a Caixa Econômica Federal (CEF) iniciará os depósitos do Bolsa Família a partir do dia 18 e seguirá até o dia 31 do mesmo mês, com o objetivo de auxiliar milhares de beneficiários.

Entretanto, é importante destacar que o novo calendário para maio terá um número reduzido de beneficiários em comparação ao mês anterior, devido aos cortes progressivos que têm sido realizados nos últimos meses.

Esses cortes são resultado do pente-fino realizado no Cadastro Único (CadÚnico) para verificar os dados cadastrais fornecidos pelos beneficiários.

Nesta etapa, o foco está voltado para as pessoas que declararam fazer parte de famílias unipessoais.

A revisão cadastral no Cadastro Único é importante para garantir que os recursos do Bolsa Família estejam sendo direcionados para as famílias mais necessitadas e que realmente atendam aos critérios de elegibilidade do programa.

Dessa forma, o pente-fino é uma ação necessária para evitar fraudes e irregularidades no programa.

Os beneficiários que tiverem seus benefícios cancelados ou suspensos durante a revisão cadastral ainda podem recorrer da decisão e apresentar as documentações necessárias para comprovar sua elegibilidade no programa.

Além disso, a Caixa Econômica Federal oferece suporte e orientações para aqueles que precisam de ajuda para regularizar sua situação cadastral.

É fundamental lembrar que o Bolsa Família é um programa social que tem como finalidade reduzir a pobreza e a desigualdade social no país, auxiliando famílias em situação de vulnerabilidade.

Por meio da revisão cadastral, o programa visa assegurar que o benefício esteja sendo concedido de forma justa e efetiva, atendendo aos critérios de elegibilidade e beneficiando aqueles que mais necessitam.

Além disso, o Bolsa Família é um importante instrumento de combate à fome e à miséria, promovendo a inclusão social e o acesso a direitos básicos como alimentação, educação e saúde.

O programa também contribui para a redução da evasão escolar e para o aumento da frequência escolar das crianças beneficiárias, que precisam manter uma frequência mínima de 85% nas aulas.

Por fim, é importante ressaltar que a continuidade e a ampliação do Bolsa Família dependem do compromisso do governo e da sociedade em garantir a sua sustentabilidade e fortalecimento como política pública essencial para a promoção da justiça social e da dignidade humana.

Como fazer para provar que realmente moro sozinho?

Para provar que mora sozinho e se encaixa no perfil de família unipessoal, é necessário apresentar documentação que comprove a situação.

O ideal é que sejam apresentados documentos oficiais, como conta de água, luz ou telefone em nome do beneficiário, comprovante de residência, declaração de imposto de renda, entre outros.

Caso não haja nenhum documento em nome do beneficiário, é possível apresentar declarações de outras pessoas que residam na mesma casa, comprovando que o beneficiário não vive em companhia de outras pessoas.

Vale lembrar que é importante apresentar apenas documentos verdadeiros e atualizados, pois informações falsas podem acarretar em punições e cancelamento do benefício.

Em caso de dúvidas sobre a documentação necessária, é recomendável buscar orientação no CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) mais próximo.