Pular para o conteúdo

Bolsa Família julho 2023: Valor reduzido e lista de beneficiários

Bolsa Família

O pagamento das parcelas do Bolsa Família de julho teve início na última terça-feira (18). No entanto, os beneficiários se depararam com uma redução nos valores e estão sem saber a razão disso.

Por isso, decidimos informar as três possíveis causas para essa diminuição no programa. Em primeiro lugar, temos o Auxílio Gás que não foi liberado em julho.

Esse benefício adicional é disponibilizado a cada dois meses, e como já foi pago em junho, a próxima parcela só estará disponível novamente em agosto.

Além disso, há a redução no valor do Bolsa Família devido ao empréstimo do Auxílio Brasil. Lançado em 2022, esse programa de crédito oferecia parcelas máximas de R$ 160 para os participantes do benefício. Assim, quem ainda não quitou suas dívidas continua recebendo um valor inferior a R$ 600.

Por fim, outra questão a ser considerada é a Regra de Proteção e o aumento de renda familiar no âmbito do Bolsa Família.

Quando a renda da família aumenta devido ao emprego com carteira assinada ou ao empreendedorismo, ocorre uma redução de 50% sobre o valor padrão do benefício.

Esperamos que essas informações esclareçam os motivos por trás da redução dos pagamentos do Bolsa Família em julho. Estamos à disposição para qualquer dúvida adicional.

Como funciona a Regra de Proteção do Bolsa Família?

A Regra de Proteção possibilita o aumento da renda mensal das famílias beneficiárias do Bolsa Família.

Nesses casos, os beneficiários podem manter o recebimento do benefício por até dois anos, desde que a renda per capita não ultrapasse meio salário mínimo.

Além disso, se o aumento de renda for proveniente de emprego formal ou empreendedorismo, os beneficiários ainda têm o direito de receber o Bolsa Família por até dois anos.

No entanto, nessas situações, apenas 50% do valor original do programa será repassado aos beneficiários.

Caso a renda da família permaneça dentro dos critérios estabelecidos, a Regra de Proteção garante uma transição gradual, permitindo que os beneficiários se adaptem ao novo cenário sem perder completamente o auxílio.

Essa medida visa apoiar as famílias em seu processo de crescimento econômico, assegurando a continuidade dos benefícios do Bolsa Família conforme a necessidade.

Calendário do Bolsa Família

Dígito final do NIS Data
1 18/07
2 19/07
3 20/07
4 21/07
5 24/07 (liberado dia 22/07)
6 25/07
7 26/07
8 27/07
9 28/07
0 31/07 (liberado dia 29/07)

Parcelas liberadas com os seguintes adicionais:

  1. Benefício de Renda de Cidadania: é liberado o valor de R$ 142 por integrante da família;
  2. Benefício Variável Familiar: concede uma quantia de R$ 50 para lactantes, gestantes e jovens entre sete e dezoito anos incompletos;
  3. Benefício Primeira Infância: libera um valor de R$ 150 por cada criança de até seis anos;
  4. Benefício Complementar: completa o valor para R$ 600 caso a família não apresente integrantes suficientes.

Esses são os valores adicionais que compõem as parcelas do benefício do Bolsa Família, contribuindo para a assistência financeira e apoio às famílias em situação de vulnerabilidade.

Novo repasse do Bolsa Família disponibilizado pelo Governo nesta quinta-feira (20): confira os beneficiários

O Bolsa Família é um programa de transferência de renda criado pelo governo brasileiro em 2003, com o objetivo de combater a pobreza e a desigualdade social no país.

Ele beneficia milhões de famílias em situação de vulnerabilidade, proporcionando um auxílio financeiro mensal para suprir suas necessidades básicas.

Os benefícios do Bolsa Família são divididos em diferentes categorias, de acordo com a composição e as particularidades de cada família.

Vamos conhecer um pouco mais sobre os adicionais mencionados:

  1. Benefício de Renda de Cidadania: Esse é o valor básico concedido a todas as famílias beneficiárias. O montante é calculado com base na renda per capita e no número de integrantes da família. Portanto, quanto maior o número de membros na família e menor a renda, maior será o valor repassado.
  2. Benefício Variável Familiar: Esse adicional destina-se a atender às necessidades específicas de alguns membros da família. Ele é concedido para lactantes, gestantes e jovens entre sete e dezoito anos incompletos, com o objetivo de auxiliar nos gastos relacionados à alimentação e ao desenvolvimento desses indivíduos.
  3. Benefício Primeira Infância: Esse benefício visa dar suporte às famílias na criação e desenvolvimento das crianças com até seis anos de idade. O valor é destinado para investir na saúde, alimentação e educação das crianças nessa fase tão importante da vida.
  4. Benefício Complementar: Esse adicional é concedido quando o valor do benefício calculado para a família, somando os benefícios anteriores, não alcança o montante de R$ 600. Nesse caso, o Bolsa Família é complementado para que a família receba, no mínimo, esse valor como auxílio financeiro mensal.

O Bolsa Família tem sido uma importante ferramenta para reduzir a extrema pobreza e promover o acesso a direitos básicos, como educação e saúde, para milhões de brasileiros.

Além do apoio financeiro, o programa também atua em parceria com outras políticas públicas para melhorar as condições de vida das famílias beneficiárias, buscando promover um desenvolvimento mais justo e inclusivo para o país.