Bolsa Família vai liberar no máximo dois adicionais; entenda

Bolsa Família 2023

A volta do Bolsa Família este ano terá algumas novidades. Além dos R$ 600, a condicionalidade deve ser retomada e mais R$ 150 serão concedidos a determinadas famílias beneficiárias. Essas são as promessas eleitorais feitas pelo presidente Lula (PT) que agora serão cumpridas.

Além disso, o governo federal já anunciou que o Cadastro Único, uma plataforma de captura de dados, será atualizado. O objetivo é retirar os brasileiros que recebem ajuda de forma inadequada e incluir na folha de pagamento as famílias que realmente precisam.

As primeiras parcelas do programa começam a ser pagas no dia 18 de janeiro e vão até o final do mês, com base no último dígito do NIS (Número de Identificação Social). No entanto, o complemento deve levar algum tempo para ser lançado.

Limite do adicional de R$ 150 do Bolsa Família

Um valor adicional de R$ 150 do Bolsa Família será concedido às famílias com filhos de até 6 anos. No entanto, cada família só pode receber dois extras, um para cada filho. Dessa forma, alguns brasileiros poderão contar com o valor máximo de R$ 900 referente ao auxílio do governo federal.

O depósito desses valores pode levar mais tempo. Isso porque os membros do governo dizem que primeiro os registros precisarão ser verificados no CadÚnico e, em seguida, R$ 150 serão liberados.

Esse procedimento deve levar de 60 a 90 dias. Até lá, os cidadãos atendidos terão R$ 600.

Viabilização do Bolsa Família

Os pagamentos do Bolsa Família nos moldes defendidos por Lula foram viabilizados pela aprovação da PEC do Período de Transição (Proposta de Emenda à Constituição) pelo Congresso Nacional em dezembro de 2022. Essa medida visava aumentar o teto de gastos.

O texto garante o pagamento de R$ 600, mas novas condições devem ser introduzidas no programa ainda este ano.

Novos beneficiários serão selecionados para o novo Bolsa Família

Com a mudança de governo e o desenvolvimento do novo Bolsa Família, famílias socialmente desfavorecidas que ainda não recebem os benefícios proporcionados pelos programas assistenciais querem saber se o novo programa abrirá espaço para que mais pessoas o considerem.

Para apoiar a população brasileira presa nessa pobreza, o governo está procurando famílias que atendam aos critérios necessários para ingressar no programa Bolsa Família, que ainda está em desenvolvimento.

No entanto, para colher os benefícios, novas regras serão implementadas.

Por uma série de razões, muitas pessoas que têm direito a programas sociais não recebem nenhum benefício fornecido pelo governo.

Por isso, membros do governo federal estão preparando uma campanha conjunta para encontrar quem tem direito ao benefício família, mas ainda não conseguiu acessar esse auxílio.

O governo federal, juntamente com os governos estaduais e municipais, precisam trabalhar juntos para encontrar esses cidadãos para que essa atividade seja realizada da melhor maneira possível.

O tema tem gerado hipóteses e, em entrevista, o ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, disse que já tinha conhecimento da campanha e que deveria, inclusive, comparecer a uma reunião com o Conselho Nacional de Assistência Social o quanto antes para discuti-la. tema.

Como a principal promessa de Lula no período eleitoral era acabar com a fome no Brasil, os governadores eleitos estão preocupados com esse problema social, principalmente porque temem não resolvê-lo.

Por isso, muitos deles pediram a Wellington Dias que se posicionasse sobre o valor destinado ao enfrentamento desse problema social.

Os dirigentes estaduais estão preocupados com a continuidade dos recursos que serão utilizados para custear programas sociais nos próximos meses e até mesmo para viabilizar novas assistências sociais.

Dias ainda não se pronunciou sobre esses valores, mas sabe-se que em breve haverá uma reunião para decidir sobre esses projetos sociais.

NOVAS REGRAS PARA O BOLSA FAMÍLIA

Para se qualificar para o programa Bolsa Família e cumprir as regras estabelecidas, é preciso primeiro entender os requisitos necessários, atualmente:

  • Estar inscrito no CadÚnico, e ter atualizado os dados nos últimos dois anos
  • Não ultrapassar a renda de R$ 210 reais mensais per capita
  • Para crianças, jovens e adolescentes em idade escolar, possuir frequência escolar mínima de 75%
  • Para mulheres grávidas, realizar o pré-natal e o acompanhamento de saúde junto à Unidade Básica de Saúde do bairro, sempre informando que faz parte do Auxílio Brasil.

Além disso, o ministro Wellington Dias também afirmou que deve buscar a opinião do ministro da Saúde e Educação para discutir se é necessário que o governo volte a exigir que as crianças beneficiárias do Bolsa Família frequentem a escola e renovem a carteira de vacinação. .

Antes, no antigo Bolsa Família, o acesso aos benefícios exigia acompanhamento de saúde na rede pública, caderneta de vacinação das crianças em dia e taxa de matrículas superior a 85%.

No entanto, na gestão de Jair Messias Bolsonaro, esses problemas diminuíram, por isso é preciso aumentar a elaboração do novo plano.

Essas regras provavelmente serão necessárias quando o novo Bolsa Família estiver pronto para entrar em vigor, principalmente porque um adicional de R$ 150 será pago às famílias com crianças menores de 6 anos. família..

De acordo com o ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, esse valor adicional deve ser pago em até 90 dias, quando será implementada a estrutura do programa Bolsa Família, regras que determinam esse valor adicional, como o valor do benefício que pode ser pago. Quais são as normas para cada família, entre outras regras.

Então, em janeiro, o prazo era curto e o pagamento não deveria ter sido feito.

MENSAGENS NO APLICATIVO – AVERIGUAÇÃO CADASTRAL

No aplicativo, algumas mensagens estão sendo enviadas aos beneficiários do Auxílio Brasil, falando sobre levantamentos cadastrais.

Conseqüentemente, muitos beneficiários estão questionando a notícia, argumentando que perderão seus direitos de beneficiário ou que sua assistência será bloqueada. …

Essas mensagens são um alerta aos beneficiários que não atualizaram seus dados do CadÚnico nos últimos dois anos.

Nele, o governo orienta o segurado a ir ao CRAS mais próximo para atualização cadastral e informar sempre os dados reais.

Essas mensagens aparecem nos aplicativos Caixa Tem e Auxílio Brasil, caso você não tenha recebido, fique atento, pois essa investigação acaba de começar e você poderá receber essa mensagem em breve.

Porém, se você já atualizou seus dados no CadÚnico e todas as informações são verdadeiras, não precisa se preocupar, pois você não perderá o direito aos benefícios do Bolsa Família.

%d blogueiros gostam disto: