empréstimo do Auxilio Brasil

Caixa anuncia CANCELAMENTO no desconto do empréstimo do Auxilio Brasil

A Caixa Econômica Federal informou aos beneficiários do Programa Auxílio Brasil que seus descontos no crédito consignado seriam cancelados devido a irregularidades relatadas por eles.

Em vez disso, eles informaram aos destinatários que um anúncio apareceria em seu aplicativo Caixa Tem. O anúncio explicava que a primeira parcela do empréstimo seria cancelada no início de dezembro, e então apareceriam os pagamentos das parcelas do empréstimo daquele mês.

A mensagem da Caixa não contém nenhuma informação nova, pois o beneficiário já percebeu que ocorreu o desconto de 160 reais ao consultar o benefício de novembro no aplicativo Auxílio Brasil, embora o contrato estipule que a primeira parcela só será descontada em dezembro, mas , o banco procurou esclarecer uma situação que surpreendeu muitas famílias.

Na notificação, o beneficiário receberá a seguinte mensagem: “A sua parcela do empréstimo é debitada automaticamente a partir do primeiro benefício a ser recebido após a contratação. A data de 07/12 que aparece no extrato do contrato é o prazo para que a Caixa receba o valor do Ministério da Cidadania.”

Assim, embora pareçam irregulares, a Caixa tenta explicar que os descontos nos bens mencionados pelo Auxílio Brasil foram feitos na data certa, mesmo sem aviso prévio à família, o que parece não passar de um desconhecimento das regras pelos beneficiários.

Descontos do empréstimo no Auxílio Brasil

No total, houve 3 supostas violações de descontos relacionados ao empréstimo salarial Auxílio Brasil:

  • No primeiro caso, o valor do beneficiário que nunca solicitou empréstimo salarial refere-se a prestações de crédito;
  • No segundo caso, o beneficiário que solicitou crédito mas não foi aprovado ou ainda está processando o pedido também tem desconto no valor da entrada;
  • No terceiro caso, o beneficiário sofreu um desconto neste mês, mas alegou que o contrato só previa o desconto para a primeira parcela em dezembro.

Caixa fala sobre os descontos no Auxílio Brasil

A pedido da Folha de São Paulo, o Ministério da Cidadania informou que todos os contratos firmados entre 10 de outubro e 1º de novembro terão o primeiro desconto na folha de pagamento do Auxílio Brasil em novembro, independentemente da data do contrato. Não há carência para o desconto no primeiro empréstimo consignado.

Então, de acordo com o Banco Popular e Ministérios, pode-se entender que todos os contratos celebrados em um mês são automaticamente descontados no mês seguinte, então fique atento à família do Auxílio. É o caso do Brasil, pois a data prevista no contrato é apenas o prazo máximo para o qual o beneficiário pode pagar a parcela caso deixe de receber os benefícios.

Se o desconto for obtido sem contrato de crédito assinado, o Ministério da Cidadania recomenda se inscrever no concurso no site consumer.gov.br ou ligar para o 121 para mais informações, além disso, se o empréstimo for assinado pela Caixa, é necessário vá trazer documentos pessoais (como CPF, RG e comprovante de residência) vá até a agência bancária, pois somente lá você poderá obter os dados e solicitar o cancelamento do empréstimo, se necessário.

Confira abaixo as instituições financeiras que foram habilitadas a liberar o consignado:
  • Caixa Econômica Federal.
  • Banco Agibank S/A.
  • Banco Crefisa S/A.
  • Banco Daycoval S/A.
  • Banco Pan S/A.
  • Banco Safra S/A.
  • Capital Consig Sociedade de Crédito Direto S/A.
  • Facta Financeira S/A Crédito, Financiamento e Investimento.

Governo pode ser processado por descontos no Auxílio Brasil

Além disso, a Rede Renda Básica do Brasil informou na última quinta-feira (10) que consultou a Defensoria Pública Federal para verificar a possibilidade de indiciar o governo por supostos descontos irregulares nas parcelas do empréstimo salarial no valor de Recebidos em novembro pelas famílias assistidas pelo Auxílio Brasil .

A diretora de relações institucionais da rede, Paola Carvalho, disse ao O Tempo que se reuniu com a Defensoria Pública Federal (DPU) e que “está buscando estabelecer alternativas para entrar no processo”, dizendo que a estratégia seria “reunir elementos , nomeie e denuncie e encaminhe para a (coalizão) Defensoria Pública” que busca abordar a questão das famílias vulneráveis ​​no distrito auxiliar do Brasil.

%d blogueiros gostam disto: