×

Cartão Nubank pode deixar de existir caso medida polêmica do governo seja aprovada

Cartão Nubank

Cartão Nubank pode deixar de existir caso medida polêmica do governo seja aprovada

Cartão Nubank pode deixar de existir caso medida polêmica do governo seja aprovada. O Congresso Nacional está analisando uma medida que pretende estabelecer um limite para os juros do rotativo do cartão de crédito.

Embora essa proposta possa prejudicar as instituições financeiras que trabalham com essa modalidade, o Nubank é um dos bancos que mais tem acompanhado essa movimentação do governo federal, já que pode ser uma das instituições mais afetadas caso o texto seja aprovado.

O rotativo do cartão é uma operação de crédito em que as operadoras repassam os valores não pagos pelos clientes para a próxima fatura, cobrando juros em troca, conhecidos como juros rotativos.

Essa é a modalidade com as maiores taxas de juros do mercado, e de acordo com dados do Banco Central, a taxa média anual ultrapassa 400%. No caso do Nubank, as tarifas somam 326,36%, ou 12,85% ao mês.

Medida coloca em risco a existência do cartão de crédito

Em entrevista ao Valor Econômico, o CEO do Nubank, David Vélez, comentou sobre a intenção do governo de reduzir as taxas de juros do rotativo do cartão de crédito.

Embora reconheça a boa intenção da medida, Vélez alerta que ela pode causar um sério impacto no sistema financeiro nacional.

Caso a proposta seja aprovada, algumas instituições financeiras podem cancelar o cartão de crédito, pois ele deixará de ser rentável.

Isso fará com que milhões de brasileiros percam sua modalidade de pagamento preferida, já que, segundo Vélez, 40% das famílias brasileiras utilizam o cartão de crédito para suas compras.

No entanto, a posição de David Vélez em relação à nova medida pode não estar relacionada apenas ao bem-estar dos brasileiros, mas também à sobrevivência de sua fintech.

Especialistas preveem que o Nubank será uma das empresas mais afetadas pela redução do teto do rotativo.

Aprenda a solicitar um empréstimo consignado no Nubank em poucos minutos

Nubank pode perder 17% de sua receita

O Santander divulgou um relatório sobre o impacto da nova medida do governo no Nubank. Segundo o levantamento, caso o teto de 8% ao mês para o rotativo do cartão de crédito seja estabelecido, a fintech perderia cerca de 17% de sua receita, devido à grande quantidade de usuários do cartão roxinho.

Diante dessa perspectiva, a diretoria da empresa está preocupada. O teto máximo para os juros do rotativo também foi mencionado em um relatório entregue pela fintech à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, no qual a empresa destaca que essa possibilidade pode modificar suas operações.

Essa preocupação da direção do Nubank é compreensível, já que a medida pode afetar diretamente o modelo de negócios da empresa, que é baseado em cartões de crédito com taxas reduzidas e serviços digitais inovadores.

Além disso, a fintech também tem investido em outros produtos financeiros, como empréstimos e conta corrente, o que pode ajudar a mitigar os efeitos da redução do teto do rotativo.

No entanto, é importante ressaltar que a medida proposta pelo governo tem como objetivo proteger os consumidores brasileiros, que frequentemente se endividam devido às altas taxas de juros cobradas pelos cartões de crédito.

Portanto, é necessário buscar um equilíbrio entre a proteção do consumidor e a viabilidade econômica das instituições financeiras, incluindo as fintechs.

De fato, é importante que medidas sejam tomadas para proteger os consumidores de possíveis abusos por parte das instituições financeiras.

No entanto, também é necessário considerar os impactos dessas medidas na economia do país como um todo.

As fintechs, como o Nubank, têm sido importantes agentes de transformação no mercado financeiro brasileiro, oferecendo produtos e serviços inovadores e com taxas mais acessíveis do que as instituições tradicionais.

Por isso, é importante que o governo leve em conta as particularidades dessas empresas ao propor mudanças regulatórias.

Além disso, é importante que as fintechs busquem se adaptar às novas regras e buscar soluções para se manterem competitivas.

A diversificação dos produtos e serviços oferecidos pode ser uma estratégia para mitigar os efeitos da redução do teto do rotativo do cartão de crédito.

Em resumo, a redução do teto do rotativo pode trazer desafios para o Nubank e outras fintechs, mas é importante que o governo leve em conta a importância dessas empresas para a inovação e a competitividade do mercado financeiro brasileiro.