Carteira de trabalho digital: Veja como funciona e como fazer a sua

Carteira de trabalho digital

A Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), obrigatória para todos os empregados da empresa, foi transferida de sua versão física para o meio eletrônico. A CTPS digital, acessível por computador ou smartphone, já acumula 344 milhões de visualizações desde o lançamento da ferramenta, em 2019.

Carteira de trabalho digital

A versão eletrônica do portfólio reúne antigos e novos contratos de trabalho, bem como anotações relevantes, atualizando e partilhando o historial profissional.

Com a pandemia de covid-19 ampliando o trabalho e os serviços remotos, o uso da CTPS explodiu. Só no ano passado, foram registradas 270 milhões de visualizações.

O documento está disponível no site da Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia e também pode ser baixado por meio do aplicativo CTPS Digital, disponível para smartphones com sistemas Android e iOS. Introduzida como meio de consulta em 2017, a carteira digital passou a substituir o documento em papel em 2019, com sua oficialização no Regulamento do Diário Oficial da União.

A CTPS eletrônica conecta vários bancos de dados do governo com informações inseridas pelo empregador no e-Social, um sistema de registro de empregos on-line.

O documento eletrônico consolida os dados do contrato de trabalho, salário, afastamentos, décimo terceiro salário, rescisões e demais eventos relacionados ao histórico do empregado.

Como tirar a carteira de Trabalho Digital

Para acessar a CTPS digital, o empregado precisará de um Cadastro de Pessoa Física (CPF) e login autenticado no portal único dos Serviços do Governo Federal (Portal Gov.br). O processo é instantâneo e não há tempo de espera como obter um cartão físico.

Em teoria, as informações de uma carteira digital são as mesmas de uma carteira física. Em caso de discrepância, o funcionário deve solicitar ao empregador atual que retifique as informações desatualizadas.

A Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia recomenda que o empregado mantenha um cartão físico para manter registros de empregos antigos e solicitar o comprovante do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Principalmente no caso de uma empresa que foi fechada antes da migração da documentação para o e-Social.

Empregador

Para um empregador, uma pasta de trabalho digital funciona exatamente como para outros funcionários. A diferença é que as empresas têm que fazer todas as admissões, desligamentos e notas pelo e-Social, desburocratizando e agilizando o processo.

Ao contrário de um cartão físico, um cartão de trabalho eletrônico não requer um número específico de oito dígitos, dividido em um número de identificação e um número de série.

Todas as informações podem ser inseridas inserindo apenas o número do CPF do funcionário. Em até 48 horas após a inscrição no e-Social, as informações devem constar na CTPS digital.

 

%d blogueiros gostam disto: