Pular para o conteúdo

Como consultar o Bolsa Família de JULHO no Portal do Cidadão através do CPF

Bolsa Família

O Bolsa Família referente a julho começou a ser liberado desde a última terça-feira (18), e os beneficiários já podem movimentar suas parcelas.

Diversos métodos estão disponíveis para consultar o benefício, mas a consulta pelo CPF se destaca por oferecer maior comodidade aos participantes. A seguir, explicamos como realizar esse processo.

Primeiramente, o interessado deve acessar o site do Portal do Cidadão e efetuar o login utilizando o seu CPF.

A senha utilizada será a mesma já utilizada em aplicativos como o Caixa Trabalhador ou o Bolsa Família. Para aqueles que nunca acessaram essas plataformas, é necessário fazer o cadastro inicial.

No site, é possível obter informações detalhadas sobre a situação do seu Bolsa Família, desde a parcela bloqueada até a análise do benefício.

Cada uma dessas situações é representada por um ícone com sua respectiva cor, conforme descrito abaixo:

  • Verde: parcela liberada para saque;
  • Amarelo: parcela bloqueada;
  • Azul escuro: parcela enviada para crédito;
  • Vermelho: parcela cancelada;
  • Cinza: parcela já foi paga;
  • Azul claro: parcela pendente.

Quais informações do Bolsa Família estão presentes no Portal Cidadão?

Com o Bolsa Família, as famílias beneficiadas têm a oportunidade de conferir com facilidade o valor total e individual de cada benefício liberado.

Além disso, pelo sistema, também é possível verificar os montantes referentes ao Auxílio Gás e ao décimo terceiro.

Bolsa Família turbinado confirmado em julho

Em primeiro lugar, temos um adicional que está sendo pago desde março aos beneficiários do Bolsa Família, denominado Benefício Primeira Infância.

Nesse benefício, é liberada uma parcela de R$ 150 para cada criança de até seis anos dentro da família. O governo informou que não há limite de recebimento deste extra.

Além disso, há o novo formato de cálculo da parcela mínima, que pode garantir uma quantia extraordinária de até R$ 1.420.

O Benefício de Renda de Cidadania concede R$ 142 para cada integrante da família, até completar R$ 600, mas podendo atingir quantias superiores a um salário mínimo. Se a família tiver dez integrantes, os beneficiários podem receber até R$ 1.420.

Junto ao Benefício de Renda de Cidadania, existe o Benefício Complementar, que entra em ação quando o valor mínimo de R$ 600 não é atingido.

Ou seja, caso o número de integrantes do Bolsa Família não seja suficiente para alcançar a quantia base, o governo completa com o Benefício Complementar, garantindo que todos recebam, no mínimo, R$ 600.

Por fim, temos o Benefício Variável Familiar, que libera uma parcela adicional de R$ 50 para lactantes, gestantes e jovens entre sete e dezoito anos incompletos. Com isso, o governo pode liberar um total de R$ 150 neste benefício adicional.

Bolsa Família: Busca Ativa beneficia mais de 1,3 milhão de famílias no programa

O Bolsa Família é um programa de transferência de renda criado pelo governo federal do Brasil, com o objetivo de combater a pobreza e a desigualdade social.

Ele é voltado para famílias em situação de vulnerabilidade econômica, que possuem renda per capita mensal abaixo da linha da extrema pobreza ou da pobreza.

O Benefício Primeira Infância é uma das medidas implementadas para fortalecer a proteção social às crianças.

Essa parcela de R$ 150 é destinada a cada criança de até seis anos dentro do núcleo familiar. O benefício busca assegurar que as crianças nessa faixa etária tenham acesso a recursos adicionais que possam contribuir para o seu desenvolvimento, especialmente em aspectos como alimentação, saúde e educação.

Já o Benefício de Renda de Cidadania é o pilar central do programa. Ele oferece uma ajuda financeira de R$ 142 para cada membro da família, até completar o valor total de R$ 600.

No entanto, caso a família tenha mais de dez integrantes, o valor pode ultrapassar o salário mínimo, chegando até a R$ 1.420. Essa abordagem visa garantir uma assistência mais adequada para famílias numerosas.

O Benefício Complementar, por sua vez, atua como um suporte para assegurar que todas as famílias beneficiadas recebam, no mínimo, R$ 600, mesmo que o cálculo inicial não alcance esse montante.

Essa medida é importante para garantir que os mais necessitados recebam uma ajuda financeira mais significativa, evitando que fiquem abaixo da linha de pobreza.

Por fim, temos o Benefício Variável Familiar, que contempla grupos específicos dentro da família, como lactantes, gestantes e jovens entre sete e dezoito anos incompletos, com uma parcela adicional de R$ 50 para cada um desses membros.

Essa medida visa fornecer uma atenção especial a esses grupos, reconhecendo suas necessidades particulares.

O Bolsa Família, com suas diferentes modalidades de benefícios, desempenha um papel crucial na redução da pobreza e no incentivo ao desenvolvimento humano, proporcionando um apoio financeiro fundamental para milhões de famílias em todo o Brasil.

O programa é uma importante ferramenta de inclusão social e tem impacto significativo na melhoria das condições de vida das pessoas em situação de vulnerabilidade.