Como fazer o cálculo da aposentadoria

Como fazer o cálculo da aposentadoria pelo INSS?

O INSS oferece diversos tipos de proteção à aposentadoria para seus segurados, cada um com suas características, portanto, é necessário entender como calculá-lo para não correr o risco de receber retornos abaixo do esperado ou escolher riscos menos favoráveis ​​na aposentadoria.

Como é realizado o cálculo da aposentadoria?

O valor do beneficio é calculado de acordo com as regras estipuladas pela legislação.

Acompanhe os fatores usados ​​para este cálculo:

Média salarial – soma de todos os salários contributivos de julho de 1994 ao mês anterior à aplicação. Este valor é dividido pelo número de contribuições contribuídas.

Tempo de arrecadação –A maioria das leis previdenciárias exige um valor mínimo de tempo contributivo e, mesmo que isso não seja especificado, o valor do período contributivo é um fator.

Descartes dos menores salários de arrecadação – antes da entrada em vigor da Reforma da Previdência Social (até 12/11/2019), 20% das contribuições mais baixas eram rejeitadas imediatamente, no momento do cálculo do rendimento médio do segurado.

Terminada a reforma, acaba o descarte, mas o valor inferior ainda pode ser descartado, desde que não conte para o prazo de pagamento.

Idade – As regras de aposentadoria de valor mais alto geralmente exigem uma idade mínima, enquanto as aposentadorias fora da idade geralmente consideram a idade como um fator na determinação de seu valor.

Categoria da aposentadoria – A Lei da Previdência Social prevê diversos tipos de aposentadoria (de acordo com a idade, tempo de contribuição, circunstâncias especiais). Existem também pensões específicas que oferecem proteção para funcionários públicos, militares, professores e deficientes.

De realçar que a reforma (13/11/2019) criou várias disposições transitórias para cada uma destas pensões, que se destinam aos tomadores de seguros que iniciaram o pagamento de contribuições antes da entrada em vigor das novas disposições.

Cada categoria de aposentadoria e suas regras de transição possuem cálculos diferentes, portanto o segurado deve escolher a mais vantajosa.

Fator previdenciário – é uma fórmula matemática que analisa a expectativa de vida, idade e duração das contribuições. Ou seja, quando a expectativa de vida for alta e a idade e a duração das contribuições forem menores, o fator previdenciário será aplicado para diminuir o valor do benefício.

Divisor mínimo – é o número mínimo pelo qual dividir a soma dos rendimentos das contribuições para calcular os rendimentos médios. Foi encerrado com a reforma com o objetivo de reduzir o valor da pensão de velhice.

Aposentadoria por idade

  • Antes da reforma (até 12/11/2019) –O valor era 70% do nível médio de 80% do maior salário de contribuição, com um acréscimo adicional de 1% para cada ano de contribuição. Para obter 100% da média, é necessário se aposentar com 30 anos de contribuições.
  • Depois da reforma (13/11/2019) –  O valor  será equivalente a 60% da média de todos os salários pagos, e o período de contribuição de 20 anos para os homens e 15 anos para as mulheres aumentará 2%.

Aposentadoria por tempo de contribuição

Antes da reforma – O valor era de 80% do salário máximo multiplicado pelo valor médio do coeficiente previdenciário.

Importante:  Os segurados que conseguiram cumprir a regra 85/95 conseguiram escapar do fator previdenciário. A aposentadoria era, portanto, a média de 80% dos salários mais altos, sem declínio.

Depois da reforma – a pensão contributiva foi abolida e, em seu lugar, foram desenvolvidas disposições transitórias para os segurados que começaram a pagar contribuições antes da aposentadoria.

Idade Progressiva e aposentadoria por pontos 

As mesmas regras de cálculo de pensão se aplicam após a aposentadoria. O valor das prestações equivale a 60% da média de todos os salários pagos, para homens a 20 anos e mulheres a 15 anos o valor pago anualmente aumenta 2%.

Pedágio 50%

O valor da pensão é igual à média de todos os salários pagos (em julho de 1994) multiplicado pelo coeficiente da previdência social. Esta regra é aplicável apenas aos contribuintes que tenham se aposentado há menos de 2 anos na data de entrada em vigor da reforma (13/11/2019).

Pedágio 100% 

O valor do benefício é igual a 100% da média de todos os salários pagos (sem redução).

Aposentadoria Especial

  • Antes da reforma – O valor era à média de 80% do salário de contribuição mais alto do segurado (sem qualquer redução).
  • Depois da reforma – o montante da pensão por velhice é de 60% do rendimento médio das contribuições seguradas, com acréscimo de 2% por cada ano que ultrapasse os 20 anos para os homens ou 15 anos para as mulheres e mineiros.

Veja mais sobre: Benefícios assegurados pelo INSS aos portadores de visão monocular

%d blogueiros gostam disto: