Confira o que mudou no PIX neste início de ano

PIX

O Pix mudou, você precisa entender como funciona, a partir de agora, nesta segunda-feira, dia 2, novas regras elaboradas pelo Banco Central para o PIX. A intenção é trazer mais agilidade e segurança aos usuários da ferramenta.

Limites de transação 

Uma das novas regras do PIX retira o limite de transferência. Anteriormente, havia um limite máximo para o que um usuário poderia transacionar. Porém, a partir de agora, você poderá utilizar todos os seus limites em uma única transação.

A nova decisão também remove os limites de transação para usuários finais como empresas, deixando a cargo de cada banco definir esses valores.

Limite diurno e noturno para saque e troco pelo Pix

O limite por transação foi removido, mas o limite de transferência foi preservado. O que muda nessa regra é o valor que é permitido negociar. Em 2023, cada usuário físico poderá transferir até 3.000 reais durante o dia e 1.000 reais à noite.

“Essa medida visa adequar os limites normalmente disponíveis nos caixas eletrônicos para saques tradicionais. Assim, com o Pix Saque, os usuários poderão acessar o serviço em condições semelhantes aos saques tradicionais”, disse o BC.

Referenciais de limite para pagamentos via Pix

O limite de referência para pagamentos via PIX passa a ser TED, e não cartão de débito.

Pedidos de redução de limite 

Nada muda no procedimento para clientes que queiram solicitar alteração de limite: se quiserem um limite menor, o banco deve abaixá-lo imediatamente. Agora, se o pedido for de aumento de limite, ele deve ser autorizado no prazo de 24 a 48 horas.

Horário noturno 

Outra mudança está relacionada ao período noturno. Agora os bancos poderão ajustar o horário noturno em que o cliente poderá solicitar a redução do limite.

Geralmente, o turno ocorre entre 20:00 e 06:00, mas é possível que os bancos dêem ao cliente a opção de mudar para 22:00 e 06:00.

Pagamento de benefícios 

Agora é possível receber seus salários, pensões e anuidades pagas pelo governo através do PIX. A medida já é corriqueira em empresas privadas e agora se estende também aos servidores públicos.

%d blogueiros gostam disto: