Consignado do Auxílio Brasil 2023 – Novo governo toma decisão sobre a continuidade do empréstimo

empréstimo consignado do Auxilio Brasil

O empréstimo do Auxílio Brasil voltou a dominar a política brasileira nas últimas semanas. A má gestão do presidente Jair Bolsonaro foi evidenciada recentemente por números cedidos em entrevistas de integrantes da comitiva do governo eleito. Portanto, de acordo com o relatório de transição, Lula (PT) precisará tomar uma decisão importante.

O empréstimo do Auxílio Brasil foi lançado em outubro, após o primeiro turno das eleições. No mês em questão, a liberação do empréstimo da Caixa bateu recordes de demanda. Porém, nos meses seguintes, esse processo enfraqueceu, o que muitos entenderam como uma clara manobra eleitoral do presidente Bolsonaro.

Nos últimos dias, o Governo de Transição para o Desenvolvimento Social (GT) divulgou um relatório contendo diversas medidas que devem ser tomadas. Entre elas, a suspensão do empréstimo ao Auxílio Brasil é a principal prioridade. Segundo o documento, o processo de estabilização do sistema financeiro brasileiro será necessário durante os primeiros 100 dias do governo.

Se o Auxílio Brasil for bloqueado, os beneficiários devem continuar pagando o empréstimo. As famílias pagarão do próprio bolso se o benefício for suspenso ou cancelado. Os valores deverão ser depositados diretamente em sua conta Caixa Tem. No entanto, ainda não sabemos se isso continuará em 2023.

Perigos do empréstimo do Auxílio Brasil

Era preciso pensar bem na hora de fazer um empréstimo, pois além do perigo de cancelamento do programa, são cobrados juros e outras taxas em caso de atraso no pagamento das parcelas. Além disso, se o Auxílio Brasil expirar ou tiver seu valor reduzido, as cobranças também continuarão.

Os perigos da modalidade sempre foram expostos por especialistas da área, e a principal preocupação é o superendividamento da população em situação de sensibilidade social.

Como funciona o consignado do Auxílio Brasil

O beneficiário pode usar 40% sobre o valor médio de R$ 400. Como o valor em questão é um valor padrão, R$ 600 se aplica até dezembro, o valor máximo da parcela é de aproximadamente R$ 160.

Além disso, foi definido um número máximo de 24 prestações com uma taxa de juro máxima de 3,5%. Com essas restrições, o valor máximo disponível para os beneficiários fica entre R$ 2.400 e R$ 2.600.

%d blogueiros gostam disto: