Pular para o conteúdo

Décimo Terceiro do Bolsa Família 2023: Consulte aqui os Estados beneficiados

Bolsa Família

Com a chegada do final do ano cada vez mais próxima, surgem inúmeras dúvidas entre os beneficiários do Bolsa Família quanto ao recebimento do 13° salário em 2023.

O ministro Wellington Dias, à frente do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), responsável pelo programa, foi claro em sua resposta sobre o assunto.

Segundo Dias, em uma entrevista ao Estadão, não está previsto o pagamento do 13° salário do Bolsa Família. O ministro argumenta que o benefício é uma ajuda, não um salário convencional, e, por essa razão, não há justificativa para esse tipo de repasse.

Entretanto, na Paraíba, os beneficiários do programa podem contar com um abono natalino, conforme estabelecido pela Lei n° 12.802, de 5 de outubro de 2023, publicada no Diário Oficial do Estado.

Bolsa Família

Essa medida, de autoria do Poder Executivo, institui o repasse de um 13° para os beneficiários do Bolsa Família que residem no estado, no valor de R$ 64,00.

Houve um precedente de pagamento adicional semelhante em 2019, durante a gestão de Jair Messias Bolsonaro. Contudo, o ministro Dias, em sua entrevista ao Estadão, sugere que esse pagamento foi uma estratégia eleitoral pontual e que o governo anterior avaliou que não era viável mantê-lo.

O objetivo principal do Governo, de acordo com Dias, é fomentar a geração de empregos e renda, permitindo que a população alcance seus direitos trabalhistas, incluindo o 13° salário.

A meta é concentrar esforços na inclusão social e econômica, oferecendo oportunidades no campo do emprego e empreendedorismo, para que os cidadãos tenham renda suficiente.

O ministro destaca que o foco é garantir pelo menos R$ 600 e outros benefícios concedidos pelo Bolsa Família, visando elevar os mais pobres da linha da miséria e romper com o ciclo da pobreza.

Compensação de R$ 15 mil do Auxílio Brasil destinada a mães solteiras: Uma medida de apoio financeiro significativa

O tema do pagamento do 13° salário para beneficiários do Bolsa Família é relevante, pois impacta diretamente a vida de milhões de famílias em situação de vulnerabilidade social no Brasil.

A discussão sobre a inclusão desse benefício ganhou destaque em 2019, quando ocorreu, pela primeira vez na história, o pagamento do 13° salário do Bolsa Família durante a gestão do então presidente Jair Messias Bolsonaro.

A decisão de implementar o 13° salário naquele ano foi recebida positivamente por muitos beneficiários, representando uma ajuda financeira adicional no período natalino.

No entanto, como mencionado na resposta anterior, o ministro Wellington Dias apontou em uma entrevista ao Estadão que esse pagamento pode ter sido uma estratégia eleitoral pontual e que o governo anterior pode ter avaliado que não era sustentável a longo prazo.

A questão central levantada pelo ministro é a natureza do Bolsa Família como um programa de transferência de renda e assistência social, destinado a proporcionar um suporte financeiro básico para famílias em situação de pobreza extrema.

A visão do governo é de que o foco principal deve ser na promoção da inclusão social e econômica, estimulando a geração de empregos e renda para que as pessoas possam conquistar seus direitos trabalhistas, incluindo o 13° salário, por meio de ocupações formais.

A iniciativa da Paraíba em instituir um abono natalino para os beneficiários do Bolsa Família que residem no estado representa uma abordagem regionalizada para atender às necessidades específicas da população local.

Esse tipo de medida pode ser uma forma de adaptação às demandas particulares de cada região, reconhecendo a diversidade socioeconômica do país.

No cerne da discussão, está o equilíbrio entre a garantia de um suporte financeiro adequado para as famílias em situação de vulnerabilidade e a busca por políticas que promovam o desenvolvimento econômico sustentável, contribuindo para a autonomia e independência financeira dos beneficiários a longo prazo.

A compreensão desse equilíbrio é crucial para moldar políticas públicas eficazes que abordem as complexas questões relacionadas à pobreza e à desigualdade no Brasil.

Acesse: Meu Bolsa Família