Pular para o conteúdo

Desconto no Bolsa Família em agosto: essas famílias receberão apenas R$ 440

Bolsa Família

O Bolsa Família de agosto está programado para iniciar seus pagamentos durante a segunda quinzena do mês, no dia 18.

O governo confirmou o depósito completo do benefício, porém um grupo específico segue com redução em suas parcelas. A seguir, detalhamos todos os aspectos sobre a próxima rodada do programa.

Primeiramente, é importante destacar que apenas os beneficiários que não forem bloqueados pelo pente-fino irão receber suas parcelas.

Para continuar no Bolsa Família, é necessário apresentar renda per capita mensal familiar de até R$ 218, podendo chegar até meio salário mínimo na Regra de Proteção. Além disso, as informações das famílias devem estar atualizadas no Cadastro Único.

Para explicar o motivo do desconto no programa atual, devemos voltar ao ano de 2022 e relembrar o empréstimo do Auxílio Brasil.

A modalidade de crédito foi lançada pelo governo anterior e liberava crédito para os beneficiários do programa.

No entanto, as parcelas do benefício ficavam comprometidas até o pagamento completo da dívida.

Dessa forma, os beneficiários que solicitaram o crédito em 2022 através do consignado do Auxílio Brasil apresentam descontos em suas parcelas do Bolsa Família.

Assim, como o valor máximo da solicitação era de R$ 160 por mês, o benefício sofre essa redução e libera apenas R$ 440 aos participantes pelo Caixa Tem.

Adicionais do Bolsa Família confirmados em agosto

Em março, o governo do presidente Lula assinou a Medida Provisória nº 1.164, que foi totalmente aprovada em junho, e o novo Bolsa Família foi confirmado.

Além disso, foi determinado que o NIS (Número de Identificação Social) não especifica quais valores os beneficiários podem receber, mas sim quando eles poderão sacar suas parcelas.

A partir disso, temos as seguintes quantias liberadas pelo Bolsa Família em agosto:

  1. Benefício padrão: uma parcela mínima de R$ 600;
  2. Benefício Primeira Infância: uma parcela adicional de R$ 150 para cada criança de até seis anos;
  3. Benefício Variável Familiar: uma quantia adicional de R$ 50 para lactantes, gestantes e jovens entre sete e dezoito anos incompletos;
  4. Benefício de Renda de Cidadania: uma parcela de R$ 142 para cada integrante do Bolsa Família até completar o valor de R$ 600, mas podendo passar desta quantia caso existam mais integrantes;
  5. Auxílio Gás.

A seguir, detalhamos as datas completas de liberação para todos os NIS:

  • Final do NIS 1 – 18;
  • Final do NIS 2 – 21 (liberado dia 19/08);
  • Final do NIS 3 – 22;
  • Final do NIS 4 – 23;
  • Final do NIS 5 – 24;
  • Final do NIS 6 – 25;
  • Final do NIS 7 – 28 (liberado dia 26/08);
  • Final do NIS 8 – 29;
  • Final do NIS 9 – 30;
  • Final do NIS 0 – 31.

Veja: Lista de beneficiários elegíveis para o saque de R$ 710 no programa Bolsa Família

O Bolsa Família é um programa social do governo brasileiro criado em 2003 com o objetivo de combater a pobreza e a desigualdade social no país.

Ele oferece auxílio financeiro mensal para famílias em situação de vulnerabilidade, desde que atendam a determinados critérios de renda e composição familiar.

Em março, o presidente Lula assinou a Medida Provisória nº 1.164, que trazia importantes alterações para o programa.

Em junho, a MP foi aprovada em sua totalidade, confirmando assim o novo Bolsa Família. Essa medida trouxe mudanças significativas em relação ao programa anterior e aumentou os valores pagos aos beneficiários.

Uma das mudanças mais importantes foi a ampliação do valor do benefício padrão, que passou a ser de R$ 600 por mês.

Além disso, foram criados benefícios adicionais para atender às necessidades específicas de algumas famílias.

O Benefício Primeira Infância, por exemplo, garante uma parcela adicional de R$ 150 para cada criança de até seis anos.

Já o Benefício Variável Familiar, acrescenta R$ 50 para lactantes, gestantes e jovens entre sete e dezoito anos incompletos.

Outra novidade foi a criação do Benefício de Renda de Cidadania, que estabelece um valor de R$ 142 por cada integrante do Bolsa Família, até completar o total de R$ 600. Caso a família tenha mais integrantes, o valor pode ultrapassar esse limite.

Além disso, a medida também determinou que o NIS de identificação não especifica os valores exatos que os beneficiários podem receber, mas sim as datas em que podem sacar suas parcelas.

Isso permite mais flexibilidade na gestão do programa e facilita a vida dos beneficiários, que podem saber com antecedência quando poderão receber o auxílio.

Em resumo, o novo Bolsa Família sob o governo do presidente Lula trouxe avanços importantes, com aumento dos valores pagos aos beneficiários e a criação de benefícios adicionais para atender melhor às necessidades das famílias mais vulneráveis.

Essas mudanças representam um esforço contínuo do governo em combater a pobreza e promover a inclusão social no Brasil.