Pular para o conteúdo

Empréstimo com FGTS: Entenda o que acontece em caso de demissão

FGTS

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um direito assegurado aos trabalhadores brasileiros, que funciona como uma espécie de poupança obrigatória para casos de demissão sem justa causa, doenças graves, aposentadoria ou outras situações previstas em lei.

Além dessas finalidades, o FGTS também pode ser utilizado como garantia em empréstimos consignados, uma modalidade de crédito em que as parcelas são descontadas diretamente do salário do trabalhador.

No entanto, é importante estar ciente das consequências caso ocorra uma demissão enquanto o empréstimo estiver sendo pago.

O que é empréstimo com FGTS?

O empréstimo com FGTS é uma forma de crédito que utiliza o saldo disponível no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço como garantia para o empréstimo consignado.

Nessa modalidade, as parcelas são descontadas diretamente do salário do trabalhador, o que torna as taxas de juros mais baixas em comparação a outras modalidades de crédito.

Como solicitar

Para solicitar um empréstimo com FGTS, é importante que o trabalhador verifique se possui saldo suficiente em sua conta para cobrir o valor do empréstimo desejado e se possui margem consignável disponível, que é o limite máximo permitido para comprometer o salário com empréstimos consignados, definido por lei.

O prazo máximo para pagamento do empréstimo é de 48 meses.

Além disso, há alguns pré-requisitos a serem atendidos para solicitar esse tipo de empréstimo.

É possível fazer a solicitação se o trabalhador tiver uma conta ativa ou inativa, desde que tenha saldo disponível.

Além disso, é necessário atender aos seguintes critérios:

  • Ter no mínimo 18 anos ou ser emancipado legalmente;
  • Optar pelo saque-aniversário por meio do aplicativo do FGTS;
  • Ter um saldo mínimo na conta para a contratação;
  • Apresentar documentos de identificação com foto, como RG ou CNH.

São essas as informações que o trabalhador precisa saber antes de solicitar um empréstimo com FGTS.

Saiba como receber o valor do FGTS diretamente na sua conta através do saque digital

O que acontece em caso de demissão?

Se um trabalhador que está pagando um empréstimo com FGTS for demitido sem justa causa, ele precisará quitar o saldo devedor com o banco ou instituição financeira que concedeu o empréstimo.

Se o saldo do FGTS não for suficiente para cobrir o valor total do empréstimo, o trabalhador deverá arcar com a diferença.

A demissão sem justa causa pode afetar a margem consignável do trabalhador, tornando difícil obter novos empréstimos consignados.

É importante estar ciente dos riscos envolvidos, principalmente em caso de demissão sem justa causa.

Antes de contratar um empréstimo com FGTS, é fundamental fazer uma análise criteriosa da sua capacidade de pagamento e das condições oferecidas pelo banco ou instituição financeira.

Além disso, é importante verificar as taxas de juros e as condições de pagamento oferecidas pelo banco ou instituição financeira, para garantir que o empréstimo seja uma opção viável e que não comprometa o orçamento do trabalhador.

Caso o trabalhador esteja enfrentando dificuldades para pagar as parcelas do empréstimo, é possível solicitar a renegociação das dívidas com o banco ou instituição financeira.

Dessa forma, é possível adequar as parcelas à capacidade de pagamento do trabalhador e evitar o acúmulo de dívidas.

É importante lembrar que o empréstimo com FGTS é uma opção de crédito que pode ser útil em determinadas situações, como a realização de um sonho ou a quitação de dívidas mais caras.

No entanto, é fundamental utilizá-lo de forma consciente e responsável, para não comprometer o orçamento e evitar problemas financeiros no futuro.

Nesses casos, é importante entrar em contato com a instituição financeira o mais breve possível e buscar alternativas para regularizar a situação.

Algumas instituições permitem renegociar as dívidas, parcelando o valor devido em um novo contrato de empréstimo com condições mais favoráveis ao trabalhador.

Outra opção é recorrer ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para quitar o saldo devedor do empréstimo consignado.

No entanto, é preciso ter em mente que o saque do FGTS só pode ser feito em situações específicas, como demissão sem justa causa, aposentadoria, doença grave ou aquisição da casa própria.

Portanto, é fundamental ter planejamento financeiro e cautela na hora de contratar um empréstimo com FGTS, levando em consideração as possíveis situações adversas que possam ocorrer durante o período de pagamento do empréstimo.