Auxílio Brasil de R$1.200

Empréstimo Consignado do Auxílio Brasil já ta liberado no Agibank?

Nesta semana, o Ministério da Cidadania liberou 12 empresas que oferecem empréstimos salariais para beneficiários do programa Auxílio Brasil, incluindo o Agibank, porém, a empresa informou que estava avaliando os critérios necessários para definir se o crédito seria utilizado, e não comunicou o Prazo para confirmar sua posição final.

Ontem (13), o G1 informou que “Banco Agibank S/A e Banco Safra S/A informaram ao portal que ainda estão analisando se tais empréstimos serão oferecidos”, situação que não mudou desde o início do mês, Foi quando a empresa disse que estava avaliando as condições logo após a publicação dos regulamentos.

Na ocasião, o Agibank informou que estudaria a diretriz normativa para determinar o impacto na empresa e, após uma análise, informaria à empresa se teria condições de oferecer aos clientes uma proposta que atendesse às necessidades de ambas as partes, porém , até agora, nenhuma decisão final foi emitida.

Em meados de setembro, o Agibank havia informado em seu site que trabalharia com o consignatário Auxílio Brasil para oferecer até 2.200 reais, parcelados em 24 parcelas de 160 reais, porém, o regulamento define uma série de regras, por isso, o banco decidiu para reavaliar a sua posição, mas não deu data para responder às perguntas.

Veja a lista de bancos que trabalha com o consignado do Auxílio Brasil

Para cooperar com o empréstimo do Auxílio Brasil, o regulamento determina que os bancos cadastrem-se ao Ministério da Cidadania informando sobre a intenção de conceder o crédito, dentre as empresas que cumpriram essa decisão, o governo emitiu 12 desistiram, confira a lista:

  • Caixa Econômica Federal (já confirmou);
  • Banco Agibank S/A (não se manifestou);
  • Banco Crefisa S/A (não se manifestou);
  • Banco Daycoval S/A (desistiu);
  • Banco Pan S/A (já confirmou apenas para pré-cadastrados);
  • Banco Safra S/A (desistiu);
  • Capital Consig Sociedade de Crédito Direto S/A (não se manifestou);
  • Facta Financeira S/A Crédito, Financiamento e Investimento (desistiu);
  • Pintos S/A Créditos (já confirmou através da Pincred Soluções Financeiras);
  • QI Sociedade de Crédito Direto S/A (já confirmou através do Meu Tudo);
  • Valor Sociedade de Crédito Direto S/A (não se manifestou);
  • Zema Crédito, Financiamento e Investimento S/A (não se manifestou).

O ministro da Cidadania, Ronaldo Bento, disse recentemente que 60 instituições financeiras manifestaram interesse em trabalhar com o empréstimo do Auxílio Brasil, porém, muitas empresas temem que os beneficiários percam o direito aos benefícios e não consigam pagar o crédito. risco de perda, razão pela qual alguns desistiram ou não confirmaram que vão trabalhar com crédito

Empréstimo consignado do Auxílio Brasil

De acordo com a Portaria nº 816 do Ministério da Cidadania, os beneficiários poderão solicitar a assistência brasileira encontrando as informações necessárias para firmar contrato com a empresa por meio da declaração de pagamento do benefício ou consulta recebida no momento do saque mensal.

Há também um número máximo de parcelas de 24 (vinte e quatro) parcelas por mês e parcelas consecutivas, ou seja, uma cobrança obrigatória é cobrada mensalmente até que o empréstimo seja totalmente pago, não sendo permitido “saltar” parcelas em nenhum momento Tempo.

Outro ponto importante é a taxa de juros, que não pode ser superior a 3,5% ao mês, o que torna o Auxílio Brasil semelhante à taxa cobrada dos aposentados e pensionistas do INSS.

Valor do consignado do Auxílio Brasil

De acordo com o Ministério da Cidadania, os 600 reais atualmente pagos pelo Auxílio Brasil não serão levados em consideração na assinatura do contrato de empréstimo, pois os outros 200 reais são temporários e serão pagos por apenas cinco meses até o final de dezembro.

Portanto, pode ser comprometido até 40% do valor de 400 reais, que é o valor mínimo recebido pela família, que equivale a um percentual de 160 reais, então o beneficiário que se comprometeu a pagar 160 reais em parcelas mensais conseguir um empréstimo de até R$ 2.500 a uma taxa de juros de 3,5% ao mês, o que equivale a 51,11% ao ano, o valor pode variar de banco para banco.

No entanto, após o desconto, restam apenas 240 reais para as famílias receberem, e devido ao valor reduzido após o desconto da folha de pagamento do Auxílio Brasil, muitos especialistas alertam que os beneficiários precisam se planejar antes de assinar um empréstimo, pois a dívida é tão arriscada quanto a dívida pertence ao beneficiário, mesmo que ele não receba mais benefícios.

%d blogueiros gostam disto: