Pular para o conteúdo

INSS revela nova forma de comprovação para a prova de vida

prova de vida

INSS revela nova forma de comprovação para a prova de vida. Desde o início da pandemia de Covid-19, quando as agências bancárias e da Previdência Social foram fechadas, o governo federal tem buscado atualizar o processo de prova de vida.

Essa etapa é obrigatória e permite ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) confirmar que os aposentados e pensionistas estão vivos. Atualmente, há estudos em andamento para tornar esse procedimento ainda mais moderno.

A prova de vida do INSS tem passado por contínuas evoluções. Em fevereiro deste ano, uma portaria foi publicada, regulamentando 10 tipos de procedimentos que podem ser usados como comprovação.

A boa notícia é que nenhum deles exige que pessoas acamadas ou hospitalizadas compareçam pessoalmente às agências bancárias ou da Previdência Social, como era comum no passado.

O processo de comprovação de vida já gerou muita polêmica, pois obrigava aposentados e pensionistas, independentemente de sua condição de saúde, a realizar o procedimento anualmente.

Embora fosse possível cadastrar um procurador para representar o segurado nessa situação, a mídia frequentemente noticiava casos de idosos doentes que precisavam se deslocar até as agências.

Visando simplificar esse processo, o governo tomou uma decisão importante: a prova de vida agora é uma responsabilidade do INSS, não mais do segurado.

Isso significa que não cabe mais ao aposentado ou pensionista comprovar sua existência, mas sim à Previdência Social verificar se a pessoa continua viva e ativa na sociedade.

Desde então, canais de movimentação social têm sido utilizados para esse propósito.

Novo método de prova de vida do INSS

Na manhã da última quarta-feira (19), o presidente do INSS, Alessandro Stefanutto, anunciou que está sendo estudado um novo método para a prova de vida.

A proposta visa permitir que aposentados, pensionistas e demais beneficiários de auxílios federais comprovem sua existência por meio do uso de transporte público equipado com controle biométrico.

De acordo com essa ideia, ao utilizar a catraca de ônibus ou metrô que possua identificação biométrica, essa ação poderá ser considerada como prova de vida válida.

Alessandro explicou que a proposta está sendo elaborada em colaboração com a Secretaria de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal, e que há planos para expandir essa medida para outras localidades.

Essa iniciativa tem o potencial de trazer mais praticidade e comodidade para os beneficiários, evitando a necessidade de deslocamentos extras para realizar a prova de vida.

Além disso, a utilização da tecnologia biométrica pode garantir maior segurança e agilidade ao processo.

Contudo, é importante que a proposta seja bem avaliada em termos de eficiência e acessibilidade antes de ser implementada em larga escala.

Aviso Crucial para Aposentados e Pensionistas do INSS: Fiquem Atentos!

O que vale como prova de vida do INSS

Desde fevereiro, foram estabelecidos 10 tipos de ações que podem ser utilizadas como comprovação de vida para beneficiários do INSS. São eles:

1 – Acesso ao aplicativo Meu INSS com o selo ouro ou a outros aplicativos e sistemas de órgãos e entidades públicas que possuam certificação e controle de acesso, tanto no Brasil quanto no exterior;

2 – Realização de empréstimo consignado com reconhecimento biométrico;

3 – Atendimento presencial nas agências do INSS e em entidades ou instituições parceiras, com a realização de reconhecimento biométrico, incluindo também o sistema público de saúde;

4 – Comprovação por meio de vacinação;

5 – Cadastro ou recadastramento nos órgãos de trânsito ou segurança pública;

6 – Atualizações no CadÚnico;

7 – Votação nas eleições;

8 – Emissão ou renovação de documentos oficiais que exijam a presença física do usuário ou o reconhecimento biométrico;

9 – Recebimento do pagamento de benefício com reconhecimento biométrico;

10 – Declaração de Imposto de Renda, seja como titular ou dependente.

Essas opções oferecem mais flexibilidade e praticidade para os beneficiários realizarem a prova de vida, contribuindo para reduzir a necessidade de deslocamentos físicos e facilitando o processo de confirmação de sua existência perante o INSS.

É importante que os beneficiários estejam cientes das opções disponíveis para escolher a que melhor se adeque à sua situação.