Pular para o conteúdo

Liberação Antecipada do Bolsa Família de Agosto para todos os NIS em 14/08?

Bolsa Família

A liberação das parcelas do Bolsa Família referentes a agosto ainda não ocorreu, porém os beneficiários já têm conhecimento das datas previstas para o recebimento.

Adicionalmente, foram confirmadas duas antecipações para grupos específicos de beneficiários do NIS. Contudo, é importante esclarecer que a informação sobre a antecipação para o dia 14 não procede.

Como mencionado anteriormente, a liberação das parcelas do Bolsa Família correspondentes a agosto foi confirmada e tem início programado a partir do dia 18.

Embora haja circulação de mensagens que mencionam uma antecipação para o dia 14, essas informações são infundadas.

Abaixo, apresentamos o calendário completo do programa para referência:

  • Final do NIS 1 – 18;
  • Final do NIS 2 – 21 (liberado dia 19/08);
  • Final do NIS 3 – 22;
  • Final do NIS 4 – 23;
  • Final do NIS 5 – 24;
  • Final do NIS 6 – 25;
  • Final do NIS 7 – 28 (liberado dia 26/08);
  • Final do NIS 8 – 29;
  • Final do NIS 9 – 30;
  • Final do NIS 0 – 31.

Para assegurar o recebimento de suas parcelas, é essencial que os beneficiários tenham uma renda per capita mensal familiar que não ultrapasse o valor de R$ 218.

Adicionalmente, é crucial manter o Cadastro Único sempre atualizado, com informações precisas sobre si mesmos e seus familiares.

No que tange à gestão dos valores, os beneficiários têm à disposição o aplicativo do Caixa Tem, o qual está disponível tanto para dispositivos IOS quanto Android.

Valores do Bolsa Família em agosto

Em março, o governo federal ratificou a Medida Provisória nº 1.164, que recebeu aprovação integral em junho, confirmando assim o novo formato do Bolsa Família.

Além disso, ficou estabelecido que o NIS (Número de Identificação Social) não indica os valores específicos que os beneficiários irão receber, mas sim a data em que poderão efetuar o saque de suas parcelas.

Com base nesses ajustes, apresentamos a seguir os montantes disponibilizados pelo Bolsa Família para o mês de agosto:

  • Benefício padrão: parcela mínima de R$ 600;
  • Benefício Primeira Infância: parcela adicional de R$ 150 para cada criança de até seis anos;
  • Benefício Variável Familiar: quantia suplementar de R$ 50 destinada a lactantes, gestantes e jovens entre sete e dezoito anos incompletos;
  • Benefício de Renda de Cidadania: parcela de R$ 142 por membro do Bolsa Família até atingir o total de R$ 600, podendo exceder esse valor caso haja mais integrantes;
  • Auxílio Gás.

Guia para Voltar a Receber o Bolsa Família Normalmente

Em março, o Governo Federal a Medida Provisória nº 1.164, que depois de ser aprovada integralmente em junho, trouxe consigo importantes transformações para o programa Bolsa Família.

Essa medida representa um passo significativo no compromisso do governo em fortalecer e ampliar o suporte financeiro às famílias de baixa renda.

Uma das mudanças mais notáveis é a maneira como os benefícios serão distribuídos. A adoção do NIS como indicador de data de saque, em vez de denotar valores específicos, é uma abordagem interessante para garantir que os beneficiários tenham acesso aos seus recursos de acordo com um cronograma organizado.

Isso também pode trazer mais flexibilidade e previsibilidade para as famílias que dependem desses recursos.

Quanto aos valores, o novo modelo estabeleceu diferentes categorias de benefícios para atender a diversas necessidades das famílias contempladas.

Além do benefício padrão, que é uma parcela mínima de R$ 600, há a consideração das necessidades específicas de grupos como crianças de até seis anos, lactantes, gestantes e jovens entre sete e dezoito anos incompletos, que recebem parcelas adicionais.

A inclusão do “Benefício de Renda de Cidadania” também demonstra um esforço para adaptar o programa às diferentes composições familiares.

No tocante à eficiência da distribuição dos recursos, a disponibilidade do aplicativo Caixa Tem para beneficiários do Bolsa Família é um passo importante.

Isso proporciona aos beneficiários uma forma mais acessível e conveniente de gerenciar e movimentar seus recursos, contribuindo para a inclusão financeira.

No geral, o novo Bolsa Família busca não apenas fornecer um suporte econômico fundamental para as famílias de baixa renda, mas também se esforça para ser mais flexível, transparente e alinhado com as necessidades de diferentes perfis familiares, além de utilizar ferramentas tecnológicas para facilitar o acesso aos recursos.

Isso reflete uma abordagem mais holística para o bem-estar social e econômico das famílias mais vulneráveis no Brasil.