Ministro da Previdência afirma que ainda não há definição sobre o aumento do salário mínimo para R$ 1.320

De acordo com o Ministro da Previdência Social, Carlos Lupi, o governo federal ainda não confirmou o aumento do salário mínimo de R$ 1.302 para R$ 1.320 em maio. A expectativa é que a medida provisória autorizando o reajuste, previsto no Orçamento, seja assinada no próximo mês.

Leia mais: INSS muda as regras do Auxílio-doença e surpreende os brasileiros

Segundo Lupi, “o valor de R$ 1.320 foi negociado e proposto pelo governo, mas atualmente o salário mínimo está em R$ 1.302, e qualquer diferença exigirá uma medida provisória e discussão com o Congresso”. O ministro informou que a equipe econômica, composta por membros das pastas de Fazenda, Planejamento e Gestão, está avaliando o aumento.

Cada R$ 1 de acréscimo no salário mínimo eleva o gasto do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) em R$ 259,7 milhões. Se o aumento for confirmado para R$ 1.320, a arrecadação do RGPS aumentaria em R$ 259,7 milhões, enquanto os benefícios previdenciários, como aposentadorias e pensões, aumentariam em R$ 266 milhões.

“Promessa de Lula para o aumento do salário mínimo”

Em fevereiro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) confirmou a intenção de elevar o salário mínimo para R$ 1.320 em 1º de maio, Dia do Trabalhador.

Além disso, Lula tem o objetivo de retomar a política de valorização do salário mínimo, que garantia reajuste acima da inflação somado ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

Vale lembrar que o salário mínimo deixou de ter ganho real durante a gestão de Jair Bolsonaro, já que a regra que garantia o aumento anual com base na inflação vigorou somente entre 2011 e 2019 devido a pandemia que o vivemos.

Além disso, Lula tem como objetivo aumentar o poder de compra da população e estimular a economia do país, principalmente em um momento em que a crise econômica ainda afeta a vida dos brasileiros.

No entanto, a medida é vista com preocupação por alguns setores da sociedade, que temem que o aumento do salário mínimo possa gerar inflação e desequilíbrio nas contas públicas.

De acordo com especialistas, a valorização do salário mínimo é importante para reduzir a desigualdade social e garantir melhores condições de vida para a população mais vulnerável.

Porém, é preciso que a medida seja acompanhada por políticas públicas que fomentem a geração de emprego e renda, para evitar que o aumento do salário mínimo acabe gerando mais desemprego e informalidade.

Enquanto isso, o governo continua avaliando o impacto financeiro do aumento do salário mínimo, e a expectativa é que a medida provisória autorizando o reajuste seja assinada em breve.

Veja também este artigo: Beneficiários do INSS são informados que promessa do governo pode não ser cumprida, gerando frustração

Qual é o real poder de compra pra quem ganha um salario minimo em 2023?

O poder de compra de quem recebe um salário mínimo em 2023 pode variar dependendo da região do país em que a pessoa mora e do custo de vida local.

Atualmente, o valor do salário mínimo é de R$ 1.322, ou seja, esse é o valor bruto que a pessoa recebe mensalmente.

No entanto, é importante considerar que, além dos descontos obrigatórios, como INSS e Imposto de Renda (quando aplicável), existem outros gastos que impactam diretamente no poder de compra do salário mínimo, como alimentação, transporte, moradia, saúde, entre outros.

Portanto, o real poder de compra de quem ganha um salário mínimo em 2023 pode ser mais limitado em regiões onde o custo de vida é mais alto.

É importante que as pessoas façam um planejamento financeiro cuidadoso e busquem alternativas para economizar e aproveitar ao máximo o seu salário.

Compartilhe esta publicação com seus amigos e familiares Para ajudar a mantê-los mais informados.

%d blogueiros gostam disto: