Auxilio Brasil

Novas datas de pagamento do Auxílio Brasil de R$ 600 divulgadas; confira o calendário

Mais uma rodada do Auxílio Brasil, maior programa de transferência de renda do país, terá início em novembro. A parcela mínima permanece em R$ 600 até dezembro, conforme consta em emenda constitucional aprovada pelo Congresso em julho.

O valor original em janeiro do ano seguinte é de R$ 400. Com a eleição do presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) , o futuro do benefício continua cercado de incertezas.

Para receber, além de estar em situação de pobreza ou extrema pobreza, as famílias também devem estar ativamente cadastradas no CadÚnico.

O primeiro grupo é composto por famílias cuja renda mensal por pessoa não ultrapassa 105 reais, e o segundo grupo é composto por famílias cuja renda mensal por pessoa não ultrapassa 210 reais.

A seleção dos beneficiários é realizada pelo Ministério da Cidadania com base nos dados fornecidos ao CadÚnico. As inscrições para o sistema estão disponíveis em todos os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) do país.

Calendário do Auxílio Brasil

Espera-se que o governo faça pagamentos nos últimos meses, mas nenhum pagamento antecipado para novembro foi confirmado até agora. Portanto, a transferência deve ocorrer na data original publicada pelo Ministério da Cidadania.

Os benefícios são recebidos de acordo com o final do seu número de identificação social, na ordem de 1 a 0. Veja o próximo calendário completo do Auxílio Brasil:

Final do NIS Recebe em
1 17 de novembro
2 18 de novembro
3 21 de novembro
4 22 de novembro
5 23 de novembro
6 24 de novembro
7 25 de novembro
8 28 de novembro
9 29 de novembro
0 30 de novembro

Números do programa

Atualmente, o benefício beneficia 21,13 milhões de famílias socialmente desfavorecidas em todo o país. A maior parte deles está concentrada no Nordeste, com 9,75 milhões de beneficiários.

A lista continua com as regiões Sudeste (6,28 milhões), Norte (2,54 milhões), Sul (1,42 milhão) e Centro-Oeste (1,12 milhão). Estado a estado, a Bahia foi a campeã em números de atendimento, com 2,58 milhões de famílias assalariadas.

%d blogueiros gostam disto: