consignado

Novo consignado com margem exclusiva para segurados do INSS é liberado – Confira

Após aprovação pelo Congresso Nacional da Medida Provisória (MP) nº. cartões de abono salarial para pensionistas e demais beneficiários do INSS. Em suma, a aplicação elevou a margem imputável e disponibilizou um novo recurso.

Após a alteração, ficou acordado que as contrapartes podem comprometer com cartão de crédito até 5% do valor recebido como parte da provisão do INSS. A margem imputável ao crédito pessoal passará a ser de 40%.

De acordo com o Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS), a partir desta semana, as instituições financeiras de todo o país já estão autorizadas a operar na modalidade crédito, desde que cumpram a administração dos planos de benefícios previdenciários. Além disso, os bancos também são obrigados a oferecer operações de crédito adicionais sobre os salários.

Como funciona o cartão?

O cartão faz parte da ficha de consignação, portanto, os valores gastos com a ferramenta serão descontados automaticamente da folha de pagamento do INSS. É permitida a aplicação de uma margem de 5% do valor correspondente ao subsídio de segurança social.

De acordo com as regras de utilização da nova função, é possível sacar dinheiro em até 70% do limite do cartão enviado. Além disso, essa modalidade também oferece aos portadores do cartão benefícios adicionais, como descontos em farmácias, auxílio funeral e seguro de vida.

O cartão não possui anuidade e permite o pagamento de despesas acima do desconto de 5% na folha de pagamento em até 40 dias. No entanto, em caso de atraso, será cobrada uma taxa de juros de 3,06%.

Quem pode contratar?

Além dos aposentados e pensionistas do INSS, a modalidade crédito também estará disponível para os cidadãos amparados pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC). Com a inclusão do grupo, a folha de pagamento foi ampliada para mais de 52 milhões de pessoas.

Segundo o governo federal, os beneficiários do Auxílio Brasil também introduziram essa margem de 45%, mas no momento ainda não há crédito liberado para essa parcela da população.

%d blogueiros gostam disto: