Pular para o conteúdo

Pagamento do Novo Bolsa Família para Beneficiários com NIS Final 4

Bolsa Família

A Caixa Econômica Federal efetuará o pagamento nesta sexta-feira (21) da parcela referente a julho do novo Bolsa Família aos beneficiários com Número de Inscrição Social (NIS) terminado em 4.

Esta é a segunda parcela que inclui o novo adicional de R$ 50 destinado a famílias com gestantes e filhos entre 7 e 18 anos.

Desde março, o Bolsa Família também contempla outro adicional de R$ 150 para famílias com crianças de até 6 anos.

Com isso, o valor total do benefício pode atingir até R$ 900 para aqueles que preenchem os requisitos para receber ambos os adicionais.

O valor mínimo do benefício é de R$ 600, mas com as novas inclusões, o valor médio do benefício sobe para R$ 684,17.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, o programa de transferência de renda do Governo Federal atenderá 20,9 milhões de famílias em julho, com um gasto total de R$ 14 bilhões.

A partir deste mês, entra em vigor a integração dos dados do Bolsa Família com o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS).

Por meio do cruzamento de informações, 341 mil famílias foram canceladas do programa por apresentarem renda acima das regras estabelecidas pelo Bolsa Família.

O CNIS conta com mais de 80 bilhões de registros administrativos, incluindo informações sobre renda, vínculos de emprego formal e benefícios previdenciários e assistenciais pagos pelo INSS.

No entanto, houve inclusão de outras 300 mil famílias no programa em julho. Essa inclusão foi possível graças à política de busca ativa, que se baseia na reestruturação do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e concentra-se nas pessoas mais vulneráveis que têm direito ao complemento de renda, mas não recebiam o benefício.

Desde março, mais de 1,3 milhão de famílias passaram a fazer parte do Bolsa Família.

Essas ações demonstram o esforço contínuo do governo em ampliar o alcance do programa, beneficiando um maior número de famílias em situação de vulnerabilidade social e contribuindo para a redução da pobreza e desigualdade no país.

Regra de proteção

Quase 2,2 milhões de famílias estão enquadradas na regra de proteção no mês de julho. Esta regra, em vigor desde o mês passado, permite que famílias cujos membros consigam emprego e aumentem sua renda, recebam 50% do benefício ao qual teriam direito por até dois anos, desde que cada integrante da família receba até meio salário mínimo.

Para essas famílias, o benefício médio ficou em R$ 378,91. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, do total de famílias beneficiadas pela regra de proteção, 1,46 milhão foram incluídas neste mês devido à integração dos dados do Bolsa Família com o CNIS.

Essa regra de proteção é uma importante medida que visa apoiar e incentivar a inserção das famílias no mercado de trabalho e, ao mesmo tempo, garantir que elas possam contar com uma renda mínima para sua subsistência durante esse processo de transição.

Dessa forma, o programa Bolsa Família busca proporcionar um caminho para que as famílias possam se desenvolver e conquistar maior autonomia financeira.

A integração dos dados do Bolsa Família com o CNIS é uma iniciativa fundamental para aprimorar a gestão do programa, possibilitando a identificação mais precisa das famílias que realmente necessitam do benefício, bem como a identificação das que podem avançar na sua trajetória socioeconômica e contar com o suporte da regra de proteção.

Com essas medidas, o governo busca tornar o programa ainda mais efetivo no combate à pobreza e na promoção da inclusão social, garantindo que as famílias em situação de vulnerabilidade possam ter acesso a condições dignas de vida e melhores oportunidades para o seu desenvolvimento e bem-estar.

Reestruturação

Desde o início do ano, o programa social voltou a ser denominado Bolsa Família. O valor mínimo de R$ 600 foi garantido após a aprovação da Emenda Constitucional da Transição, que permitiu o gasto de até R$ 145 bilhões fora do teto de gastos neste ano, sendo R$ 70 bilhões destinados ao custeio do benefício.

O pagamento do adicional de R$ 150 teve início em março, após o governo realizar uma revisão detalhada no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), visando eliminar fraudes.

Segundo o balanço mais recente, divulgado em abril, cerca de 3 milhões de pessoas com inconsistências no cadastro tiveram o benefício suspenso.

No modelo tradicional do Bolsa Família, os pagamentos ocorrem nos últimos dez dias úteis de cada mês.

Os beneficiários podem consultar informações sobre as datas de pagamento, o valor do benefício e a composição das parcelas no aplicativo Caixa Tem, utilizado para acompanhar as contas poupança digitais do banco.

Essas medidas buscam assegurar uma maior transparência e eficiência na administração do programa, bem como aprimorar o acesso e a distribuição dos benefícios às famílias em situação de vulnerabilidade social.

O Bolsa Família desempenha um papel essencial no combate à pobreza, oferecendo um suporte financeiro crucial para que milhões de brasileiros possam suprir suas necessidades básicas e melhorar suas condições de vida.

             Fonte – Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome

Auxílio Gás

Neste mês, não ocorrerá o pagamento do Auxílio Gás, que beneficia famílias cadastradas no CadÚnico. Esse benefício é concedido a cada dois meses, portanto, o próximo pagamento será retomado em agosto.

Para receber o Auxílio Gás, é necessário estar incluído no CadÚnico e ter pelo menos um membro da família que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

A lei que instituiu o programa estabelece que a mulher responsável pela família terá preferência, especialmente mulheres vítimas de violência doméstica.

Essa iniciativa tem como objetivo proporcionar um auxílio específico para a aquisição de gás de cozinha, um recurso essencial no dia a dia das famílias, especialmente aquelas em situação de vulnerabilidade.

O programa busca aliviar os gastos com energia e contribuir para a melhoria das condições de vida dessas famílias, garantindo maior dignidade e bem-estar.

A retomada do pagamento em agosto irá beneficiar novamente as famílias cadastradas, contribuindo para a redução do impacto financeiro causado pela aquisição do gás de cozinha e possibilitando uma melhor gestão do orçamento familiar.

É fundamental que os beneficiários estejam atentos às datas de pagamento e às regras do programa para usufruírem desse importante apoio oferecido pelo governo.