Perdão do empréstimo consignado do Auxílio Brasil será apenas para esse grupo

Perdão do empréstimo consignado do Auxílio Brasil

Milhões de beneficiários do Auxílio Brasil já contrataram o empréstimo lançado em outubro de 2022, mas as dívidas dos brasileiros precisam ser negociadas e quitadas, confira.

O ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, já confirmou a vontade do novo governo de incluir os beneficiários do Auxílio Brasil que contraíram um empréstimo salarial do Auxílio Brasil no programa Desenrola Brasil, que está sendo planejado por uma equipe montada por Lula, envolvendo vários ministérios do governo federal.

“Tão logo o projeto esteja pronto, certamente o presidente Lula vai lançar para o Brasil. E essa área relacionada ao Bolsa Família será tratada entre outros endividados do Brasil inteiro, das mais diferentes áreas”, declarou o Dias ao confirmar que os 3,5 milhões de brasileiros que contrataram o empréstimo devem ser incluídos no novo programa.

Detalhes do perdão do empréstimo consignado do Auxílio Brasil

O governo federal ainda está planejando e enfrenta uma segunda semana de trabalho, com o regulamento do Desenrola Brasil ainda a ser divulgado, impossibilitando que os brasileiros já saibam quem poderá se beneficiar do esquema. No entanto, aqueles com dívidas pendentes devem ser incluídos, levando a uma cidadania negativa.

O Empréstimo Consignado Auxílio Brasil está disponível exclusivamente para os beneficiários do programa que precisam comprovar que são pobres ou extremamente pobres.

Ao emprestar, eles têm direito a usar até 40% do valor mensal do benefício para fazer um contrato de crédito com juros de até 3,5% ao mês, em até 24 parcelas para descontar o auxílio.

Os requisitos devem então incluir ser beneficiário do programa, contrair um empréstimo e estar em atraso com o seu reembolso. Ressaltando que caso deixe de ser beneficiário do regime, que é o caso do descumprimento das regras do Auxílio Brasil, o próprio cidadão terá que pagar as parcelas.

Tribunal de Contas descobre inúmeras irregularidades no Auxílio Brasil

O Tribunal de Contas da União (TCU) divulgou o resultado de uma nova auditoria que revelou um grande número de irregularidades no cadastro dos beneficiários do Auxílio Brasil em 2022. Com esses dados, o novo governo deve bloquear o programa nos primeiros meses deste ano eu entendo.

Confirmando as suspeitas de integrantes da equipe de governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), uma fiscalização do TCU por Bruno Dantas revelou um grande número de irregularidades no cadastro de brasileiros no principal programa social do país, o Bolsa Família. A falta de controle das pessoas cadastradas no Cadastro Único permitiu que aumentasse o número de famílias irregulares de “um só membro”.

A auditoria das inscrições do Auxílio Brasil

A auditoria do TCU revelou a desagregação de famílias com mais de um adulto que mantinham separadamente o Cadastro Único (CadÚnico) ao solicitar o auxílio individual para o Brasil.

A falta de uma análise do Ministério da Cidadania do governo anterior das pessoas inscritas no CadÚnico fez com que esses brasileiros, mesmo de forma irregular, passassem a receber uma bolsa.

Devido à presença dessas famílias unipessoais entre as elegíveis ao Auxílio Brasil, cujo valor base é compartilhado por todos os beneficiários, o novo governo critica o programa pelo fato de uma família de mães solteiras com um ou mais filhos receber a mesma parcela mensal como esses beneficiários que supostamente moram sozinhos.

Isso levou a um benefício de R$ 150 por criança de 0 a 6 anos para as famílias beneficiadas por um esquema que deveria ter sido executado pelo governo Lula nos primeiros 60 anos do ano, esperando apenas o bloqueio de registros ilegais para ser pago oficialmente .

%d blogueiros gostam disto: