Posso dobrar minha aposentadoria

Posso dobrar minha aposentadoria do INSS?

De acordo com os dados, 60% da aposentadoria paga pelo INSS esta com valores menores do que a pessoa realmente merece.

No entanto, nem sempre o valor é pago incorretamente por culpa do Instituto. Na maioria das vezes, ao se candidatar, os funcionários não fornecem certas informações necessárias para se qualificar para uma pensão.

Se você está aposentado e recebeu o valor incorreto, saiba que é possível corrigir esse problema. Você só precisa solicitar uma revisão do seu benefício de aposentadoria ou morte.

Antes de enviar um pedido de revisão, o segurado deve ter certeza de que vale a pena. Portanto, será necessário realizar uma análise bem detalhada dos documentos, pois o INSS pode ter cometido um erro no cálculo do valor da sua pensão. Mas também pode não ter fornecido os documentos necessários ao requerer o subsídio de desemprego.

A análise deve ser realizada junto ao Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) para comparação com as informações de sua planilha e livro de pagamentos. Só assim será possível saber se foram cometidos erros que justifiquem o pedido de revisão da pensão.

Veja os principais erros que são cometidos pelo INSS ao conceder um benefício

Desconsiderando o tempo especial no tempo comum (quando o empregado exerceu atividades insalubres);

  • não aceitar tempo de trabalho no campo;
  • Erros de CNIS, com dados discrepantes (os links em sua carteira de trabalho e CNIS possuem datas incorretas, salários e contribuições de valor mínimo, e outros erros cadastrais;
  • não use o melhor benefício;
  • não apresentar um pedido de coisa julgada (ações que você ganhou e não pode mais ser apelada).

Principais erros cometidos pelo trabalhador ao solicitar sua aposentadoria

  • Não aderir ao PPP (Perfil Profissional da Previdência Social);
  • aderir a um PPP incorreto;
  • falta de registro do tempo de trabalho no campo;
  • não anexar Certificado de Tempo de Contribuição (CTC) de seu próprio regime (concurso público);
  • não informar ao INSS que estudou em faculdade técnica;
  • deixar de registrar o tempo de cobrança ao INSS.
  • Portanto, você deve sempre verificar o CNIS, muitas vezes as informações nele contidas estão incorretas e afetarão o cálculo de sua pensão.

O pensionista pode solicitar a revisão?

Até a revisão da pensão por morte, o Segurado já estava aposentado no momento do falecimento, caso em que o direito à revisão passa para seus dependentes.

Segundo especialistas, uma das ações mais solicitadas é a revisão vitalícia e a revisão PBC (período básico de cálculo).

Quem se aposentou pode solicitar a revisão dos valores dos benefícios, inclusive das contribuições salariais anteriores a julho de 1994.

Isso porque quando as regras de transição foram estabelecidas em 1999, as contribuições anteriores do Plano Real foram ignoradas, prejudicando muitas pessoas.

Muitas aposentadorias foram pagas depois de 1999, e o INSS simplesmente renunciou ao salário de contribuição até julho de 1994, quando começou o regime real.

Aposentados que fizeram altas contribuições antes de 1994 não tinham esses valores calculados pelo INSS quando da concessão das pensões, que em muitos casos chegavam a 60% do valor recebido mensalmente.

De acordo com os advogados previdenciários, a ação visa aplicar uma regra fixa que abrange todos os salários contributivos, ao invés de uma regra temporária que prejudicou o pensionista.

Nesse sentido, a Revisão de Vida é um ato jurídico que permite ao aposentado levar sua documentação (CNIS, planilhas, folhetos, etc.) a um especialista para calcular se existe uma lei.

Procure a ajuda de um advogado que entenda as regras da Previdência Social para solicitar uma revisão. Porque cálculos prévios são necessários para julgar sua ação de revisão de aposentadoria.

Depois que o advogado fizer esse cálculo, ele determinará se vale a pena pedir uma revisão de sua aposentadoria.

Caso você tenha direito a revisão, para realizar o pedido precisará dos seguintes documentos:

Identidade e CPF

Comprovante de residência atualizado

CNIS – Cadastro Nacional de Informações Sociais (obtido no Portal do meu.inss.gov.br)

Carteira de trabalho, se teve contribuições anteriores a 1982

Procuração

Declaração de hipossuficiência (caso tenha direito à justiça gratuita)

Cópia da carta de concessão da aposentadoria, ou processo administrativo da concessão

Cálculo do tempo de contribuição

Relatório de cálculo da RMI feito pela ABL Calc, incluindo os salários de contribuição anteriores a julho/1994.

Atenção

Para solicitar uma revisão, seu primeiro recibo do INSS não pode ter mais de 10 anos, pois a decadência de uma década se aplica a uma revisão vitalícia.

%d blogueiros gostam disto: