Salário mínimo dos professores

Salário mínimo dos professores da rede pública passará de R$ 2.866 para R$ 3.845.

O governo federal anunciou um novo reajuste salarial para os professores na última sexta-feira (4)

Mas afinal, o que muda com essas assinaturas? Quão poderoso é este documento? Quem ele realmente está mirando? Segundo informações do próprio governo federal, a mudança geral é que o salário mínimo dos professores da rede pública passará de R$ 2.866 para R$ 3.845.

Tanto quanto sabemos, trata-se de um aumento que afetará todos os professores do ensino básico da rede pública nacional. Segundo informações do governo federal, esse seria o maior reajuste salarial concedido à categoria desde o início da Lei do Piso, ou seja, em 2008. Pelo menos é o que você sabe.

Além disso, segundo o governo federal, mais de um milhão de professores em todo o Brasil terão impacto nesse salário. No total, eles falam de 1.726.099 professores. Pelo menos, é o que o próprio ministro da Educação disse em seu discurso pouco antes de assinar a portaria.

Deve-se esclarecer que, de acordo com o disposto na lei do piso, o Governo você tem que fazer todo ano, sempre em janeiro. Sabe-se também que o Palácio do Planalto tem o direito de fixar essa base de pagamento, mas quem paga o valor do ensino fundamental são sempre os municípios e os governos estaduais.

O que disse Bolsonaro

“Discutimos esse reajuste para os professores do ensino fundamental. Houve, sim, muitos pedidos de diretores estaduais e de conselhos para 7%. Falei com o Milton [Ribeiro]. De quem é esse dinheiro? Quem está doando esse dinheiro para eles? Somos nós, o governo federal’, disse.

“Sempre fiz uma coisa na minha vida, aprendi cedo quando estava servindo em Nioaque, Mato Grosso do Sul, [a] me colocar do outro lado do balcão e Milton e eu vamos nos colocar do outro lado do balcão”, seguiu o Presidente.

“Então decidimos por 33%. É assim que temos como valorizar um milhão e setecentos mil professores do ensino fundamental no Brasil que estarão diretamente envolvidos no trabalho com 38 milhões de alunos.”, completou o presidente.

Professores na mira

Vale sempre lembrar que já estamos em ano eleitoral. A ideia de recalibrar essa escala para pagamentos de professores é em grande parte uma questão eleitoral. Pelo menos é o que dizem as informações dos bastidores.

O atual aumento do número de professores acontece em um momento em que há muita discussão sobre o tema dentro do governo federal. É que o presidente vem prometendo aumentos salariais apenas para profissionais de segurança.

Desde então, muitas outras categorias protestaram e exigiram um aumento salarial. Muitos deles não fizeram nenhum ajuste por anos. O governo federal ainda não explicou quais medidas tomará diante das demandas.

%d blogueiros gostam disto: