Pular para o conteúdo

Valor OFICIAL do Bolsa Família em JULHO: Confira a confirmação do Governo

Bolsa Família

O Bolsa Família de julho está oficialmente confirmado, e o presidente Lula (PT) divulgou o valor mínimo do programa.

Além disso, nesta rodada de pagamentos, haverá o desconto de um dos adicionais. A seguir, apresentamos todos os detalhes deste mês de depósitos.

Antes de mais nada, é importante ressaltar os requisitos de participação necessários para receber o Bolsa Família. Confira abaixo:

  • Não estar bloqueado pelo pente-fino do programa;
  • Apresentar renda per capita mensal familiar de até R$ 218;
  • Manter o Cadastro Único atualizado.

Com todas essas questões em dia, os beneficiários do Bolsa Família podem receber suas parcelas. Em relação ao valor oficial do benefício, o presidente Lula (PT) confirmou que será no mínimo R$ 600.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social, o pagamento ocorre por meio do Benefício de Renda de Cidadania, onde uma parcela de R$ 142 é liberada para cada membro da família até atingir os R$ 600.

Abaixo, apresentamos o calendário completo do Bolsa Família em julho:

Dígito final do NIS Data
1 18/07
2 19/07
3 20/07
4 21/07
5 24/07 (liberado dia 22/07)
6 25/07
7 26/07
8 27/07
9 28/07
0 31/07 (liberado dia 29/07)

Bolsa Família de cara nova

Novas Regras do Bolsa Família: Detalhamos as Mudanças Oficiais Estabelecidas pelo Governo.

As novas regras do programa de transferência de renda do governo Lula (PT) foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) em 10 de julho.

A partir disso, as novas condições passam a ser aplicadas a todos os beneficiários neste mês de julho. A seguir, apresentamos todos os detalhes para vocês.

Com a medida publicada no DOU, os novos requisitos do Bolsa Família entraram em vigor, e os novos adicionais foram oficialmente confirmados.

Abaixo, detalhamos todas as novas regras estabelecidas em relação aos valores:

  1. Benefício de Renda de Cidadania: libera uma parcela de R$ 142 para os integrantes do Bolsa Família;
  2. Benefício Complementar: é concedido quando o Benefício de Renda de Cidadania não atinge o valor mínimo de R$ 600;
  3. Benefício Primeira Infância: fornece um valor de R$ 150 por cada criança de até seis anos;
  4. Benefício Variável Familiar: libera um valor de R$ 50 para lactantes, gestantes e jovens entre sete e dezoito anos incompletos.

Lista de beneficiários do Bolsa Família elegíveis para saque extraordinário em JULHO

O Bolsa Família é um programa de transferência de renda criado em 2003 no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sendo um dos principais programas sociais do Brasil.

Ele tem como objetivo principal promover a redução da pobreza e a melhoria das condições de vida das famílias em situação de vulnerabilidade.

As novas regras estabelecidas pelo governo Lula (PT) visam aprimorar e fortalecer o programa, garantindo que mais famílias tenham acesso aos benefícios e que o valor recebido seja mais adequado às necessidades básicas.

Com a publicação no Diário Oficial da União em julho, essas mudanças passaram a valer para todos os beneficiários.

Uma das principais alterações é a introdução do Benefício Complementar, que será concedido quando o valor do Benefício de Renda de Cidadania não atingir o mínimo de R$ 600.

Isso significa que, mesmo que a parcela inicial seja inferior, a família terá direito a um complemento para alcançar o valor estabelecido.

Além disso, foram mantidos os benefícios existentes, como o Benefício de Renda de Cidadania, que libera uma parcela de R$ 142 para os integrantes do Bolsa Família.

O Benefício Primeira Infância, destinado a crianças de até seis anos, também permanece, concedendo um valor de R$ 150 por criança.

Outro benefício importante é o Benefício Variável Familiar, que oferece um valor adicional de R$ 50 para lactantes, gestantes e jovens entre sete e dezoito anos incompletos.

Essa medida visa auxiliar no cuidado e na promoção do desenvolvimento das crianças e adolescentes.

Essas mudanças refletem o compromisso do governo em fortalecer a proteção social e garantir que as famílias em situação de vulnerabilidade tenham acesso a recursos financeiros para suprir suas necessidades básicas.

O Bolsa Família desempenha um papel essencial na redução da desigualdade e na promoção de oportunidades para a população mais carente do país.