Caixa adia consulta ao PIS/PASEP e prejudica trabalhadores

PIS/Pasep

Recentemente, a Caixa Econômica Federal anunciou um lote extra de pagamento do PIS/PASEP para 2023, porém, cerca de 2,7 milhões de trabalhadores elegíveis não foram incluídos no lote regular. Milhões de brasileiros foram surpreendidos por esta notícia que deixou muitos trabalhadores decepcionados e prejudicados.

A consulta para o lote extraordinário estava prevista para 5 de abril, mas infelizmente precisou ser adiada, causando ainda mais incerteza e preocupação para aqueles que esperam receber o benefício.

Desde fevereiro deste ano, pelo menos seis grupos de trabalhadores já foram contemplados com o abono salarial, recebendo a quantia em suas contas em etapas mensais. Em abril, serão quatro grupos dentro do calendário regular, além daqueles incluídos no lote extra.

É importante que os trabalhadores fiquem atentos às atualizações e calendários de pagamento divulgados pela Caixa para não perderem o prazo de receber o benefício a que têm direito.

Calendário de pagamento

O calendário de pagamento do abono salarial tem previsão de encerramento para julho deste ano e, considerando tanto o lote regular quanto o lote extra, pelo menos 25,6 milhões de trabalhadores terão direito ao pagamento em 2023.

O valor a ser pago varia entre 1/12 e 12/12 do salário mínimo nacional, de acordo com a quantidade de meses trabalhados em 2021, ano-base para o abono salarial. Vale lembrar que quanto mais meses trabalhados, maior será o valor a receber.

É importante ressaltar também que o PIS é pago pela Caixa Econômica Federal para trabalhadores da iniciativa privada, enquanto o PASEP é pago pelo Banco do Brasil para funcionários públicos.

Leia também: Saiba como obter um empréstimo com juros acessíveis na Caixa Econômica Federal mesmo com pouco dinheiro

Quem tem direito ao lote extra

O grupo de trabalhadores identificado como elegíveis para o lote extra de pagamento do PIS/PASEP alcança a marca de 2,7 milhões após análise realizada pela Dataprev. Esses trabalhadores tiveram seus cadastros apresentando erros ou foram inscritos em duplicidade na declaração do RAIS (Relação Anual de Informações Sociais) e do e-Social. Esses documentos são enviados pelas empresas para contabilizar os funcionários e aqueles que recebem até dois salários mínimos por mês.

De acordo com informações do Ministério do Trabalho e Emprego, as divergências encontradas nos cadastros foram atualizadas, possibilitando que mais trabalhadores possam ser contemplados com o pagamento do PIS/PASEP.

Diferentemente dos demais trabalhadores, que seguem o calendário de pagamento iniciado em fevereiro, esse grupo receberá o pagamento do abono salarial entre os meses de abril e julho. Aqueles que teriam direito ao recebimento em fevereiro ou março poderão realizar o saque a partir do dia 17 de abril.

%d blogueiros gostam disto: